terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Mudança de planos

Andei pensando e conclui que esse ainda não é o momento da divulgação de meu livro... Pensei em algo diferente, como histórias rápidas, ficção, ou até mesmo um pouquinho de minha vida real que nem sempre é pacata... Misturarei um pouco de tudo isso a cada história que lhes contar...

PRESSENTIMENTO
Meu coração estava doendo, era uma dor profunda e eterna, havia sentido um pressentimento bobo o qual eu não distinguia o sentido... Ele agora segurava minha mão com suavidade e sussurrava palavras doces para mim. Estávamos sentados em uma praça mal iluminada, aonde a maior fonte de luz vinha de um poste que não parava de piscar e da magnifica lua.
Naquele dia estávamos fazendo seis meses de namoro. Era muito para mim, jamais havia tido um relacionamento tão duradouro e verdadeiro, eu o amava incondicionalmente e segundo ele a recíproca era verdadeira. Falávamos em casamento, filhos... e isso me deixava feliz!
Mas apesar do bem estar que a presença dele me proporcionava, naquela noite eu não estava me sentindo bem... apesar das juras que ele me fazia com rotina, eu sentia um enorme medo de perdê-lo, era como um aviso...
-Kamille, já está na hora, ENTRE!
Era minha mãe, ela não gostava de mi ver ali sozinha com o Rafael, só aceitou o nosso namoro depois que eu implorei MUUUITO! Mas eu não me importava com isso, de qualquer forma eu estaria com ele, a qualquer custo. Talvez por isso,ela, mesmo contra a vontade, permitiu o nosso namoro
Olhei o relógio que marcava exatamente 10:30, minha mãe não deixava passar nem um minuto do combinado. Fiz sinal a ela, comunicando que já estava indo, e ela aborrecida se retirou...
Fixei meus olhos nos dele com doçura sendo retribuída delicadamente com um beijo. Sorri encabulada, acariciando com as costas da mão seu rosto macio e perfeito, ele por sua vez, recebia o carinho satisfeito.
-Kamille, não vou chamar outra vez!
Era irritante falta de sensibilidade de minha mãe. Me desvencilhei dos braços aconchegantes de Rafael e caminhei em direção à minha casa, "te amo" foi o que consegui ouvir

1 comentários:

Jamile Gonçalves disse...

Parabéns! Quem diria que Carla viria a escrever tão bem? Só tome cuidado com alguns errinhos de gramática!
Parabéns! Muito beme scrito o texto
Bjoos
Visita o meu:
http://brogbrogmeu.blogspot.com/