sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Posso?


Os segredos que guardei já não são mais segredos, sei que você já percebeu minha estratégia que foi usada distraidamente, com um único objetivo o qual ainda não é tão convicto, mas já é reconhecido... Então , agora eu posso contar o que eu realmente sinto por ti...

Eu fico contando os minutos para ter a oportunidade de te ver, de estar contigo, as horas parecem não passar, eu fico ansiosa e irritada quando não te encontro, e feliz e radiante com um simples oi dado espontâneamente.

Eu confesso, você já faz parte da minha vida, da minha felicidade... Os meus dias sem você ficam monótonos, cansativos, vazios. Eu confesso que a minha vida está bem melhor agora que você apareceu...

Não quero que você chore nunca... eu quero ver o brilho natural dos seus olhos, quero ver a sua sinceridade estampada, quero que você saiba que não tem motivos para isso. Mas se mesmo assim você chorar eu quero estar do seu lado para te consolar e pra cuidar de você. Posso?

Eu quero que você prometa não me fazer sofrer , não me fazer chorar, eu quero que você prometa que não vai me dar motivos pra me arrepender de te amar... Promete? Eu posso cuidar de você? Posso te abraçar quando estiver triste? Posso te amar pra sempre? Te dar carinho? Prometo ser uma boa menina. Posso?

Você me fez voltar a acreditar em príncipe encantado, você fez com que tudo se tornasse mais lindo, mais emocionante e fantástico, agora sim eu acredito verdadeiramente em amor, e eu espero que esse conto de fadas tenha um final feliz.

sábado, 22 de agosto de 2009


Tantas palavras escolhidas, tantos ensaios em frente ao espelho, tantas maneiras de te falar... A esperança de te ver, que como o ditado foi a última a morrer, mas morreu... A minha ansiedade era visível, a minha expectativa e tristeza também... Fiquei tão decepcionada... Se eu pudesse voltaria o tempo e não te conheceria mais, estava tão acostumada a não sofrer, que agora o mínimo se torna o máximo. Mas talvez o que aconteceu, ou melhor, o que não aconteceu tenha sido bom pra mim, não sei como, mas Deus sabe o que faz, e tudo está nas mão dele.



Tá tudo certo agora, eu não me arrependo de ter te conhecido, foi a raiva do momento...

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Um caminho, duas chaves e três entradas


Eu poderia ter dito a verdade, tirado esse peso da minha conciência, feito o que deveria ser feito. Agora parece muito fácil pra mim, mas não é, tenho medo de ouvir o que certamente me faria sofrer. Mas as vezes penso que só irei conseguir se tentar, seria tão melhor sentar e esperar... Ando tão dispersa, pensando no que aconteceu e no que poderá acontecer, tão triste porque pela primeira vez me vejo de mão atadas e sem saber por onde começar, e tão feliz por ter onde começar. É muito bom saber que não preciso gritar para que me ouça, que não preciso chorar atrás da porta do meu quarto, que não preciso fingir que você não existe... Eu poderia ter dito a verdade e arriscado tudo, ao menos não estaria com tantas dúvidas, mas tive medo de parec er está te precionando, ou de me precipitar... A um tempo atrás eu saberia distinguir meus sentimentos, agora eu não sei nem se estou amando. Prefiro que você descubra sozinho.

terça-feira, 11 de agosto de 2009

you make me happy!


Quando eu estava perdida na chuva, nos teus olhos encontrei a luz que iluminou o meu caminho, a felicidade de viver a vida intensamente, o sentimentoi que suponho ser amor. Quando dei de cara com seu jeito distraido me desesperei e pensei em desistir de tudo. Quando me olhou misteriosamente traduzi o que passava por sua cabeça e tive vontade que você traduzisse o que se passava pela minha. Por você, já tive vontade de sumir do mundo assim que acordei, mas em instantes depois você desfez meu sofrimento e me fez a garota mais feliz do mundo, eu aposto. Antes de te conhecer pensava e me perguntava quem iria me completar, mas agora eu sei que nunca me senti tão completa como quando estou com você e parece que quanto mais me perco em você te acho em mim. Tenho medo que só me veja como amiga, que não me leve a sério, que não me dê importância... Tenho medo de sofrer!

sábado, 8 de agosto de 2009


Em plena semana de teste da III unidade resolvemos estudar. O que geralmente acontece é passarmos a tarde toda nos "matando", porém dessa vez foi diferente.

No início da semana combinamos estudar juntas, só que o pai de Bê não tinha deixado por não poder buscá-la, então na manhã seguinte, dia 6, aniversário de meu irmão, era dia de prova e ao término eu insintir para que Bê pedisse novamente, e por sorte o pedido foi aceito.

Já no caminho , estavamos esperando o ônibus no transbordo como se cada uma fosse para sua própria casa, esquecendo do combinado. Derrepente lembrei-me da programação e então corremos para a outra plataforma onde iríamos esperar um outro ônibus que passa com mais frequência. Ao chegar nesta, avistamos o ônibus que antes estávamos a esperar e correndo como loucas voltamos para onde estávamos.

Ao chegarmos em casa almoçamos impacientes na espectativa de comer A MARAVILHOSA TORTA DE MARACUJÁ. Ao chegar a tão esperada hora, cantamos parabéns e eles se divertiram com a minha insana proposta de cantar 22x o parabéns. Na hora de apagar a vela, meu irmão com a terrível mudança de humor recusou a vela feita com meus próprio dedinhos, e ainda por cima não quis cortar a torta. Mas tudo bem, cortamos (e comemos) por ele.

Acreditem, as tentativas de começarmos a estudar foram muitas!!! Mas as revistas estavam mais irresistíveis... xD Depois de muito sufoco finalmente começamos a estudar, mas novamente não deu certo afinal eu não conseguia me concentrar e não parei de falar de um certo acontecimento que ocorreu pela manhã que me fez feliz... Então resolvemos fazer o que dificilmente fazemos (sendo irônica tá?): TIRAR MUITAS FOTOS

E assim o dia acabou e NADA estudamos!

terça-feira, 4 de agosto de 2009

vigília


costumo ficar quieta, prefiro fingir as vezes que sou invisível que não preciso de ninguem, que já sei tudo o que poderia saber, sei que isso não é verdade,mas... queria tanto ter certeza de tudo, saber exatamente o que é certo ou errado, desconfiar de quem irá me fazer mal antes mesmo que eu a conheça. Seria tão bom que não perdessemos as pessoas que nos amam e que amomos por coisas injustas e desnecessárias, ou pior, sem motivo algum... Talvez o meu instinto protetor deva ser mudado, talves ele prejudique os que me rodeiam e tambem a mim mesma, talvez eu tenha que deixar que cresçam sozinhos... Eu sei que muitos conceitos meus têm que ser mudados para que pare de cair em siladas, para que eu deixa de sempre voltar ao início