sábado, 31 de outubro de 2009

Reflexos inapropriados


É um nó na garganta impossível de ser desatado, é frequente e real, é uma angustia adormecida que acorda em meu coração quando menos espero, como receber um castigo sem ter feito nada ou continuar amando mesmo sabendo que já não se pode mais... Congelar o coração para adormecer o amor verdadeiro que sinto até que o amor verdadeiro que sintam me encontre e me encante... Eu acredito que irei ser feliz, não sei se como eu planejei, mas terei que ser mais cedo ou mais tarde...

Não amarei mais, eu sei, afinal amor se sente uma única vez... E não adianta me dar broncas disfarçadas, essa é a verdade!

Eu odeio o meio termo, odeio que desencantem-me e depois me dêem esperança ao longo dos dias... Odeio querer um abraço e receber um sorriso, porquê não a indiferença? Odeio amar e não ser amada, porquê não amar e ser amada ou odiar e ser odiada? Odeio uma borboleta cinza, porquê não rosa ou morta?

A verdade é que eu ainda acredito em toda a beleza da humanidade, mesmo ela senda cada vez mais perversa e medíocre... Eu ainda acredito que Deus sempre pode melhorar tudo... Eu acredito que uma vez amor, sempre amor... Eu acredito que as borboletas cinza podem ser felizes e fazer muitas crianças se encantarem...

Eiii! Eu te amo porque eu adoro estar contigo por nossos breves segundos de contato. Eu adoro ouvir tua voz e eu ouço o tempo todo, mas isso é segredo. Eu adoro o seu jeito equilibrado e quase perfeito que me passa tranquilidade, confiança e respeito. Eu acredito que é Deus que me faz te amar dessa maneira desmedida e incontrolável...

E agora o nó está voltando a se formar e as lágrimas a cair, eu esqueci que nem todo assunto pode ser tratado na minha frente. Porquê não sou feita de papel?










dica: você pra mim eu pra você- Pimentas do Reino

0 comentários: