quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Passarinho que tanto amo


Um passarinho preso na gaiola a tanto tempo que já esqueceu que o mundo não acaba naquelas grades, que vive esperando o fim, que não tem noção alguma de amor, amizade e família. Seus olhos são triste e mendingam água limpa e alpiste fresco, seu canto é melancólico e irritante... Pobre passarinho preso na gaiola que se perde na imensidão do vazio de sua solidão e que não consegue viver a sua independência.

Eu adoro passarinhos, e eu não aguento vê-los presos na gaiola... é muita hipocrisia dizer que os amam e fazê-los permanecer presos, quem tiver seus passarinhos presos na gaiola que escondam de mim...

A alvorada chegou, é tempo de mudar... reconhecer os erros, repensar as decisões, reafirmar as convicções e decidir qual caminho escolher, continuar seguindo ou arriscar um novo?

A vida é muito mais que limitações, o mundo está muito além das grades martirizantes, a nobreza dos sentimentos é muito mais que a proteção pessimista que nos coloca em grades absurdas, o amor é muito mais que essa obsessão e egoísmo.

Vai passarinho, mostre a todos a beleza que Deus lhe deu, dê-me orgulho de ter te defendido enquanto você estava distraído e solitário. Vai passarinho, coma das frutas que encontrar no caminho, faça que todos sintam inveja da sua liberdade. Não tenha medo do gavião, eu já te abençoei, eu te amo e quero que seja feliz onde estiver. Vai passarinho, mas não esqueça da garotinha que te tirou da gaiola escondido de todos, não esqueça de mim.

0 comentários: