sábado, 30 de outubro de 2010

Despedida temporária


Mil desculpas pessoal... sei que tenho postado pouco... E vim hoje avisar que passarei um tempo (bom tempo) com o blog desativado.

porque estou em véspera de vestibular e vou ter que estudar muito mais de agora em diante

&

porque fui convidada para escrever um livro! Isso não é demais?


Obrigado a todos pela atenção. Em Fevereiro volto com muitas outras postagem e com o blog de cara nova. Eu prometo!


Beijos

domingo, 10 de outubro de 2010

Mais Sua


Era uma surpresa, Eu sentia minhas mãos soarem além do possível e o meu coração disparar de ansiedade. Eu não imaginava o que era.

Você a poucos minutos atrás brincava com a minha paciência e agora me trouxe ao seu quarto fazendo mistério. Eu estava segurando a sua mão e envergonhei-me ao pensar que você estava percebendo a minha ansiedade. Senti-me como quando tinha 13 anos ao fazerem uma festa surpresa no meu aniversário.

Você soltou a minha mão e caminha agora em direção a uma gaveta ao lado da sua cama. Acompanho atenciosa cada passo seu. Não demora para achar uma caixinha preta a qual guarda em mãos de modo que eu não possa observá-la mais. Vira-se para mim e diz, “ Pensei muito antes de comprar, temi você se assustar com a minha atitude, mas acho que você sente o mesmo por mim. Você é tão diferente de todas as outras. Você é tão meiga, inteligente e alegre... E por isso eu quero oficializar tudo isso. Quero que você ande pelas ruas e todos vejam que você é minha.” Eu ouvia atenta, e parte de mim estava perplexa. Você esticou o seu braço o qual a mão estava vazia e me puxou para mais perto. “Não é uma aliança de noivado, que esta não irá demorar. É um anel de compromisso. Você quer amor?”. Eu sorri emocionada, sentindo lágrimas em meus olhos e entreguei a minha mão para que colocasse o anel. Notei o seu entusiasmo e a delicadeza que pôs a aliança em meu dedo. Coloquei também no seu e depois nos abraçamos.

Na prática, nada havia mudado entre nós, porém eu sentia você mais meu, sentia-me mais protegida.

Lembrei de quando tudo começou. Da forma doce que você me olhava e da esperança que eu despertava em você. Nós dois saíamos de um relacionamento frustrado e encontramos um no outro compreensão e carinho. Lembrei que um dia eu cheguei a não apostar em nós. Lembrei também das suas declarações nos momentos em que eu estava chateada. Acordei das minha lembranças com a sua mão brincando com a minha pele. Imobilizei-as e olhando em seus olhos pensei alto, “Você cuida tão bem de mim”.

sábado, 25 de setembro de 2010

Democrática utopia

“Cansei de fantasiar contos de fadas medíocres, Quero falar de política.”

Acredito que a maioria de vocês ainda não votam, mas peço a esses que pensem no que tenho a falar e fundamentem e divulguem as suas idéias a respeito do assunto. E aos que votam peço bom senso e respeito a se próprio.

Não sou obrigada a votar. Tenho 16 anos, e optei por emitir a minha opinião neste ano de eleição, com a utópica esperança de ajudar numa possível reconstrução. Mas logo percebi o quanto realmente utópico é esse meu desejo.

Senti-me ridicularizada ao ouvir , no noticiário, o resultado das pesquisas eleitorais que denunciaram uma proporção absurda de pessoas, que assumem serem capazes de vender seus votos. Indignei-me com a ignorância da minha população e com o descaso e o individualismo da mesma. Me senti indefesa perante a alienação do meu povo, povo este que ama esmolas e odeia o meu país.

Assisto três vezes por semana o horário político e impaciento-me com propostas sem fundamento e propagandas ilusórias. Propagandas tão envolventes, que fazem acreditar que foi feito no país o quê, na verdade, declina num abismo de precariedade.
Sei que eu não seria uma boa candidata, por que eu conheço o melhor para o meu país e hoje a política não abre espaço para os que conhecem as reais necessidades deste lugar. Eu não seria uma boa candidata por que acabaria com TODOS os tipos de “bolsas” e auxílios à população e com esse dinheiro economizado abriria mais universidades públicas, escolas técnicas e empresas para gerar emprego e renda para população. Não seria boa candidata também por que acabaria com o sistema de cotas e não esconderia nenhum plano em minhas campanhas. Eu não seria uma boa candidata por que eu nunca seria eleita pelo meu povo alienado.

Fui apresentada a esse vídeo abaixo, e achei-o bastante interessante. Vale a pena conferir:

http://www.youtube.com/watch?v=ILwU5GhY9MI&feature

Acho, utopicamente, que o meu povo pode ser, um dia, democratizado.

sábado, 18 de setembro de 2010

Namorado ou Melhor Amigo?


Meu nome é Jullia, tenho 17 anos, amo o meu melhor amigo e odeio o meu namorado.

Odeio o meu namorado por que ele faz com que eu me sinta uma péssima namorada. Péssima por nunca conseguir entender o que ele quer de mim, por nunca ter tempo de ir a todos os lugares que ele deseja e por sempre desejar que ele tomasse atitudes divergentes das que ele opta. Odeio meu namorado por que quando a gente briga eu nunca me arrependo. Odeio o meu namorado por que ele conhece os meus pontos fracos e sempre consegue me fazer não terminar o namoro. Odeio o meu namorado por ele sentir ciúmes do meu melhor amigo.

Amo o meu melhor amigo por que ao lado dele eu me sinto livre para falar qualquer bobagem e por que quando brigamos sempre nos arrependemos e pedimos desculpas. Amo o meu melhor amigo sempre que ele me dá espaço no colo para eu colocar a minha cabeça quando eu sinto sono e sempre também que ele me liga e passamos a tarde toda falando de temas banais. Amo o meu melhor amigo por que ele me faz sentir a melhor amiga de todas. Amo também por que antes que alguma lágrima caia dos meus olhos ele já está com a minha cabeça no ombro e com as palavras certas para me tranquilizar. Amo o meu melhor amigo por ele ter ciúmes do meu namorado.

Meu nome é Jullia, tenho 17 anos, um dia eu crio coragem para terminar com o meu namorado e me declarar para o meu melhor amigo.

terça-feira, 7 de setembro de 2010


Mesmo fazendo tanto tempo que terminamos eu não conseguia parar de pensar em você. Passando pela nossa praça resolvi parar um pouco. Sentei-me num banco e lembrei do dia em que tudo começou, você estava inseguro e temia o meu não e quando eu disse sim seus olhos denunciaram a sua felicidade. Lembrei também das nossas últimas brigas e o quanto subjetiva e não menos dolorosa foi a nossa separação. Lembrei do dia anterior quando nos esbarramos pela rua e você ficou encabulado e aflito ao me ver, dizendo apenas um “Oi” e dando as costas para mim. Questionei-me mais uma vez o porquê que amores tão verdadeiros acabam assim, sem sentido algum? Mas não demorei muito para desistir de achar uma resposta.

Levantei do banco para retornar a minha rotina e quando olhei a minha volta reconheci a sombra do seu cabelo, a pele dos seus braços e a maneira de sentar. Era você, sem dúvida alguma, e eu sentia o meu coração bater na minha garganta. Você estava de costas, mas não hesitei em caminhar em sua direção e a cada passo sentia as minhas pernas falharem. Eu te amava. Eu ainda te amava.

Você reagiu como se soubesse da minha presença e virou-se para mim. Parei. Olhamos fixos um para o outro por poucos minutos, que pareciam eternos. Sentei-me do seu lado, mas não conseguia pronunciar frase alguma e você também optou pelo silêncio. Senti a sua mão se aproximar das minhas e enrubesci por isso, mas permiti. Você as segurou e olhou-me com uma interrogação estampada nos seus olhos. Aproximei lentamente os seus lábios dos seus e não lembro mais de nada que aconteceu depois. Me recordo apenas de algumas frases suas como “ vamos tentar mais uma vez?” e “você é a única pessoa que amei esse tempo todo...”

-Você me deixou muito romântico nessa história, amor... Não foi bem assim crianças - disse ele aos nossos netos e todos riram.

-Querido, as crianças já conhecem essa história mais até do que nós...

-É vovô... Nós já sabemos que você era um príncipe encantado igual ao da Branca de Neve – Disse Anna Sophia, nossa netinha de apenas um aninho.

-Vó, conta a história do dia do casamento?

-Hoje não Jullia, já estou bem cansada. Vão brincar!
E eles saíram correndo sem nem relutar.

-Nossa história é muito linda, querida.

-A mais linda de todas!

O beijei. Não eram mais aqueles lábios de 40 anos atrás mas ainda eram os melhores para mim.

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Auto Controle


Meus olhos não queriam, mas te buscaram em meio a multidão, depois de tanto tempo fingindo para mim mesma ter te esquecido, eu me trai. Quando os meus olhos pararam em você lembrei do meu desespero ao descobrir as suas farças, lembrei das suas palavras doces e inflexíveis, lembrei que passei a não gostar das pessoas que te faziam sofrer... Quando os meus olhos de seguiram, gritei para que voltassem, mas eles não me obedeceram. Eles caminharam junto a ti até você desaparecer e sozinhos choraram a saudade, choram escondidos atrás da porta do quarto, onde ninguém pudesse vê-los. Ordenei que parassem de chorar, os convensi que não adiantava chorar, que ele não viria consolá-los. Ordenei que voltassem a fingir para se mesmos que não queriam vê-lo mais. Exigi auto controle!


"Dá para morrer de saudades?"

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

A caixa abandonada


Procurei você por onde imaginei, debaixo da cama, dentro do guarda-roupa, no meu estojo e dentro de todos os meus livros. Procurei até encontrar o meu diário antigo e me distrair lendo-o. Relembrei aqueles nossos dias insanos nossos momentos de brigas... E quando lembrei-me que precisava voltar a te procurar, já estava cansada. Chorei de saudade e desespero por não te achar, e adormeci ainda com lágrimas nos olhos. Sonhei com algo que fui incapaz de lembrar ao acordar e acordei com o som do ponteiro do seu relógio perto do meu ouvido, você estava sentado ao meu lado cuidadoso e carinhoso com a palma da sua mão atritando-se suavemente na minha face. "onde estava? Te procurei tanto..." disse-lhe ainda sonolenta. "Você me colocou naquela caixinha desbotada no fundo da última gaveta do seu guarda-roupa enquanto tinha aquele outro na prateleira, mas esqueceu onde eu estava quando queria me encontrar depois que o outro se foi" "E como conseguiu sair de lá" perguntei prontamente. "Empurrando com muito esforço, consegui deslocar a tampa da caixa e quando você estava me procurando dentro do guarda-roupa consegui escapulir da gaveta". Me senti envergonhada pelo que havia feito alienadamente e agora mais acordada sugeri quase numa súplica, "Você pode voltar para prateleira?". Você sorrio inocentemente, sem aparentar mágoa alguma de mim e tirou do bolso um tubo de cola estendendo-me. "Volto, mas acho melhor não corrermos mais riscos". Sorri ainda encabulada e o colei, para que não pudesse tirá-lo mais do destaque da minha estante.

domingo, 8 de agosto de 2010

Farsas reais.


Me estendeu a mão e eu a segurei com doçura. Era uma tarde ensolarada e nós estávamos felizes. Você me dizia palavras bonitas, mas um tanto precipitadas, e eu, com meu bobo coração, retribuía seus carinhos. Você demonstrou ser um belo cavalheiro, e eu representei uma princesa autoritária. Você gostou do meu jeito preservado, você gostou dos meus limites e eu fui fiel à eles.Senti seu desespero ao pensar em me perder, senti o meu frio na barriga ao pensar em te abandonar. Me senti sua desde o primeiro momento.

Me apaixonei pelo seu olhar ao me observar fazendo as mais banais das coisas. me apaixonei pela firmeza que segurou o meu braço quando te dei as costas, por aquele olhar desesperado com medo de me perder. Me apaixonei quando brigamos mas logo fizemos as pazes. Fui fiel à você, fui fiel à nós dois. construimos todo o nosso amor com verdades e cumplicidade. E o melhor de tudo isso é que apesar de todas as farsas,essa ansiedade para estar com você é talvez o único sentimento totalmente verdadeiro entre nós dois...

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Não banais...


Tenho medo de fracassar... Tenho medo de errar outra vez, de estar novamente equivocada, de querer e não poder voltar o tempo. Tenho medo de perder as minhas cores e os meus fundamentos. Tenho medo de perder os meus medos não banais.

Um dia desses chorei de ansiedade desejando ter a minha independência, chorei num momento inapropriado, chorei de dúvida quanto ao assusto da minha tristeza. Ser aquariana me transporta a característica a qual mais se evidência em mim, o desejo pela liberdade independente. Talvez por isso eu tenha chorado, pelo medo do possível atraso dessa independência, pela revolta da minha própria cobrança a mim mesma.

Caminhei pensativa entre céus e superfícies, resisti em meio ao mar rosa de ansiedade e reneguei as algemas protetoras. Eu cresci e não sei bem o que fazer com isso, sei somente que quero voar com predestinações já conhecidas e destino jamais determinado. Quero derrotar os meus medos para dar espaço aos que virão daqui pra frente.

sábado, 24 de julho de 2010

Meus


Adoro o pronome possessivo “Meu”. Meu blog, minha mãe, meu pai, meus irmãos, meu namorado, meus amigos... Divirto-me assistindo os piores filmes, estudando matemática, escrevendo textos e até mesmo ao ficar em casa dormindo. Choro quando tenho raiva, quando sinto dor, quando não tiro a nota esperada, quando assisto filmes dramáticos, em finais de novela ou quando não tenho motivos, mas quero chorar. Tenho mania de colecionar, de pedir silêncio, de me apaixonar, de comprar esmaltes e fazer cálculos nos dedos mesmo já sabendo o resultado. Amo a série crepúsculo, Taylor Swift, Bahia, Disney, minha família, meus amigos, minha escola, o verão, a praia, o shopping, a matemática. Odeio quando a pessoa gosta de ser burra, odeio hipocrisia, aula de história do Brasil, pipoca, melancia e mentiras. Costumo imaginar o futuro, anotar num papel o que farei na semana e não cumprir, escrever no diário antes de dormir. Gostam de me chamar de baixinha, de me chamar de lerda, de me pedir ajuda nas matérias e de me contar segredos. Sou parcialmente perfeccionista, nada discreta e totalmente exigente. Dizem que sou responsável e madura, e dizem que não deveria ser tanto ou que eu deveria ser mais. Dizem que sou egoísta e me recriminam, mas outros acham que não sou tanto assim. Dizem que sou chata, mas outros me chamar de melhor amiga.
Cada um de nós temos particularidades múltiplas, temos um jeito individual que nos caracteriza. Dizem que somos reflexos de nossas ações, mas acho que as nossas ações são os nossos reflexos. Você concorda comigo?

domingo, 18 de julho de 2010

Concurso de Postagens!!!


Que tal o primeiro concurso do "Meu Blog"?
Vai ser assim: vocês vão mandar um email com seu melhor texto para carlinhamaryblog@hotmail.com e assim estarão concorrendo à:

*Uma mega entrevista publicada no blog como postagem
*1 mês de comentários meus em todas as suas postagens
*E o direito de escolher a música que abrirá o "Meu Blog" por 1 mês.

Os textos podem ser de qualquer tema!!!
receberei textos até o dia 26/07/2010 e serão 5 finalistas que irão para votação em enquete no blog.

Beijos e participem!
Boa Sorte!

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Você ainda merece um texto


Um dia acreditei ser você a pessoa ideal para mim, acreditei que seria impossível permanecer bem sem você, acreditei que você era o meu início, meio e fim... Sonhava com finais felizes. Chorava apenas ao pensar que poderia não acontecer o que eu queria. Esperava você dias após dias. Eu estava tão cega, que enxergava o que não existia, fantasiava.

Você me proporcionou a maior das experiências educativas que eu poderia assimilar, você me ensinou à jamais acreditar no não concreto, jamais alimentar o imaginário, não mais esperar por algo duvidoso... Você tornou-me perfeccionista. Você obrigou-me a derramar lágrimas desapontadas...

Mas nem tudo foi tristeza. Você me ajudou a mudar a minha visão de vida, me fez viver momentos bonitos de esperança, mesmo que numa ilusão, você deixou a minha vida mais emocionante.

Diante de tudo isso, digo-lhe com um grande sorriso nos lábios, que descobrir que o amor pode não ser eterno e que o quê eu sentia por você se esvaiu. Digo-lhe também que já não lhe noto quando passa por mim, que você não faz diferença alguma em meus dias, que você é meu pretérito imperfeito do subjuntivo.

sábado, 10 de julho de 2010

Talento da Felicidade


Somos garotas felizes, por que não? Temos um sol que brilha mais que qualquer jóia preciosa. Temos o perfume das flores, que acredite, é o mais valioso... Temos nossos corações, que é semelhante a um parque de diversão com a maior Montanha Russa existente. Temos cada uma, talentos particulares, talentos que deixam o mundo um pouco melhor.

Observe a nossa capacidade de superação, achamos difícil, mas sempre conseguimos dar a volta por cima. O que acontece é que por termos mania de exagero passamos a ideia de sofrermos mais, mas quer saber? As mulheres amam menos que os homens, eu sei que algumas de vocês discordarão de mim, mas é o que eu penso... Nós amamos mais vezes, mas eles quando amam é tudo muito mais forte, eu acho que pelo estereótipo que a sociedade cria de “homens insensíveis”, então quando eles amam parece coisa do outro mundo...

Mas voltando aos nossos talentos particulares, acho que nisso todas nós concordamos, somos virtuosas! Algumas têm o talento de amar, outras de fingir, mentir, conversar, escrever, encantar... Todas com uma ou várias especialidades. Eu, a propósito, considero-me especialista em amar (risos), chega a ser até cansativo e ruim às vezes, mas é a minha especialidade...

Bom... O que eu queria dizer a vocês, garotas, e não achei palavras para concluir (risos de novo, estou bem engraçadinha hoje, não é?) é que vocês precisam se valorizar, precisam se olhar no espelho e sorrir de presunção, precisam olhar para AQUELE garoto que não te “dá bola” com desprezo, precisam se achar a melhor garota como filha, irmã, namorada, amiga... Vocês precisam ver o quanto somos felizes... O quanto todas temos o talento da felicidade!

Sorry: Desculpa meninos leitores do “Meu Blog”, por excluir vocês da narração, não se sintam abandonados... Um dia eu faço um só pra vocês! (risos, cansei de rir!).

domingo, 4 de julho de 2010

Quando o Destino Ipõe



Acordei desastrada e confusa, como todos os dias, e deparei-me com a minha imagem no espelho da parede ao lado, me senti viva e aproximei-me mais, vi meus olhos brilhantes de esperança, senti meu cabelo obedecendo-me, minha boca delicada e imóvel. Segui meu caminho.

Não era um dia comum, era um dia especial, mas eu desconhecia a sua particularidade. Vi em todos que cruzavam meu caminho a curiosidade, a felicidade, angustia, tensão, decifrei em cada rosto o que se passava. Talvez eu estivesse apenas mais atenta. Atravessei a rua e pela minha distração esbarrei em uma senhora que, olhou-me, assustada, mas logo sua expressão foi substituída por pena e ela alertou: “Tome cuidado! Tome cuidado!”, fiquei opinando em minha cabeça o quanto aquela senhora deveria estar transtornada para ter essa reação com um simples esbarrão.

Prossegui ainda atenta ao comportamento das pessoas e pensativa quanto a minha mudança de comportamento e encontrei uma cigana, bom... Entrei em pânico, morro de medo de ciganos, acho que por minha mãe sempre me intimidar, quando eu era pequena, com histórias de ciganos malvados, sei que não são todos assim, mas tenho medo. Passei por ela quase que, encostando-me nas vitrines das lojas para que não me percebesse, mas não teve saída, ela estava vindo até mim. Senti minhas pernas tremerem e minhas mãos suarem, senti o desespero tomar conta e mim.

-MENINA! Tenho uma revelação a te fazer. ”gritou-me”
Minha mãe sempre diz que elas usam essa desculpa para poder afanar algo, e eu, pensando nisso não parei.
-VITÓRIA! É importante.

“COMO ELA SABE O MEU NOME?” fiquei ainda mais tensa e acelerei meus passos, imaginei que ela poderia já estar me espionando a tempos a mando de algum seqüestrador ou algo de gênero. Cheguei finalmente em meu destino, uma loja de esmaltes com coleções completas de todas as marcas, um sonho. Minha mãe havia me questionado irritada, para quê a necessidade de ir numa loja de esmaltes às nove horas da manhã num dia de férias em que a maioria dos adolescentes estaria dormindo... Eu não soube contra-argumentar, mas queria ir, queria mudar a rotina.

E mais calma com o episódio da cigana, pensei em depois de comprar os esmaltes ligar para minha mãe para pedir que ela me busque. Escolhendo as cores vi um lindo garoto entrar na loja vizinha, depois de pagar a conta quando dei de costas para o caixa ele estava perto de mim, muito perto.

-Oi... Você já vai? “perguntou desastradamente”
-Sim...
-Mora aqui por perto?
-Sim...
-Posso te levar em casa? Não tenho carro, mas podemos ir andando mesmo, se quiser...
Pensei nos meus planos de ligar para minha mãe me buscar, mas pensei também em dar uma chance para aquele garoto e foi o que fiz (indo por um caminho diferente do da cigana, claro)
-Sim...
Ele sorriu e disse: ”Você fala algo mais?”. Sorri encabulada sentindo o rubor em minha face e disse: “Sim...”

Fomos caminhando e conversando, seu nome é Flávio e ele também mora aqui por perto, cursa Direito na Universidade da cidade, adora as mesmas músicas que eu, seu melhor programa é assistir filme com brigadeiro no frio e teve sua última namorada há dois anos.

Ele sugeriu, quando nos aproximávamos da minha casa, sentarmos numa praçinha ali por perto e eu assenti. Senti como se o conhecesse totalmente, sentia-o como um amigo, ou talvez um namorado. E entre conversas e risos senti o ar quente que partia dele se aproximando lentamente de mim, senti e cedi. Fui beijada carinhosamente, um beijo familiar, um beijo confortante. Olhou-me com carinho, seu olhar era doce, tranquilo e profundo, olhar o qual fixei os meus sem lembrar-me de disfarçar e ele sorriu, seu sorriso era perfeito, dentes alinhados e expressão leve de prepotência. Imaginei que estivesse rindo da minha expressão estática diante da sua beleza e novamente enrubesci, ele então cruzou seus braços em torno da minha cintura num abraço que fez eu me sentir pequena. Ficamos ali por mais um tempo e quando resolvemos partir ele segurou minha mão olhando-me para ver a minha reação, mas eu nada fiz, e então caminhamos.

Será que existe amor a primeira vista? Será que o que eu sinto agora é amor? Será que não é apenas uma empolgação passageira? Aquele garoto parecia tão meu... Seu sorriso era tão encantador... Suas mãos são tão suaves...

Acordei dos meus questionamentos com o susto. Ouvi um tombo muito forte, como uma explosão, pessoas gritando, um som ensurdecedor de ambulância, deve ter acontecido algum acidente. Devo ter tido alguma vertigem por conta do susto, pois não consigo enxergar nada, mas ouço as vozes dos enfermeiros alertando que uma das vítimas ainda respira, apertei a mão do Flávio, mas não mais a senti, agonizei. Onde ele estava? O quê aconteceu? Percebi neste momento que não era vertigem nenhuma, meus olhos estavam cerrados e os abri, vi pessoas a minha volta, e enfermeiros me imobilizando.

-Ela abriu os alhos- Gritou um deles.
-E o rapaz?

Não houve resposta, apenas uma sutil balançada com a cabeça. Senti cada músculo do meu corpo relaxar, esfalecer... Na minha cabeça se passava repetidas vezes o balançar da cabeça do enfermeiro, senti uma brisa em meus cabelos, uma luz se aproximar, era o meu fim.

Depois de abandonado o corpo, refleti sobre os fatos e em como o destino nos coordena. Desde a minha insana vontade de comprar esmaltes, ao olhar penoso da senhora que esbarrei, a minha fuga da cigana, pois ela talvez pudesse interferir em algo e o encontro com o meu primeiro e último amor, que agora percebo com clareza a imensidão daquele sentimento. Abandonamos aquela vida juntos, o nosso destino era esse, e agora sinto que ainda não acabou, sinto que o nosso amor vai além da vida... Uma mão segurou a minha, era ele, nos olhamos com um ar de alívio por estarmos juntos, uma possível felicidade entende? E então caminhamos para onde àquele túnel luminoso nos levava. Juntos, até... Sempre!


Por: Carla Maria de Oliveira Ferreira

domingo, 27 de junho de 2010

O "Meu Blog" foi o vencedor do concurso!




Ganhei o concurso de postagens do dexaky.blogspot.com
Obrigado a todos que votaram em mim! amo vocês...

By: Carla Maria

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Suposições Neuróticas


Se fosse o meu último momento te diria que passei esse tempo todo te esperando, e que em cada segundo do meu dia pensei no quanto seriamos felizes. Se hoje fosse o meu último dia de vida te levaria num jardim e contaria a breve história do amor que nasceu no meu coração. Se você sumisse, eu te acharia, mas não te traria de volta, ficaria lá com você. Se você me revelasse esse amor que sente eu te faria o mais feliz...
Todos os dias eu espero, ansiosamente para te ver, para falar, para sentir a tua presença. Todos os dias eu enfrento a mim mesma para manter o controle, para me manter neutra. E todos os dias eu te olho, tento pensar que não, mas não adianta, é sim amor, e desejo que antes que termine o dia essa insanidade cesse. Todos os dias eu sorriu involuntariamente, sorriu para disfarçar o nervoso, sorriu de felicidade de estar tão perto de ti, sorriu simplesmente por estar te vendo. E talvez você perceba tudo isso... E talvez você fique nervoso, mas disfarce com a sua serenidade característica, talvez um dia você revele e eu te faça feliz, ou talvez não... Você decide.
Mas e se tudo for contra os meus planos? E se você não decidir? Se antes que termine o dia você não se manifestar? Se você sumir e eu não te encontrar? Se houver algum imprevisto? Se eu descobri que não é amor? Se você não me encontrar quando quiser me encontrar? Se eu ficar te esperando sem nada por vir? Se eu te perguntar você responde? Se eu não perguntar você fala mesmo assim?
Se estas palavras não chegarem até você?

Outros selinhos!!!

Ganhei este de dois blog: Penso-logobriso.blogspot.com e cheapgirlcriative.blogspot.com

Obrigada!!!




Regras:

- Pegue o selinho
- Responda a pergunta (O que é mágico para você?)
- Repasse para 10 blogs
- Indique de onde pegou o selinho
- Ilustre com uma imagem

Mágico pra mim é a AMIZADE!!!


Indico Para:
*Faz de Conta (meu-faz-de-conta.blogspot.com)
*Indy Oliveira (indyoliveira.blogspot.com)
*Dexaky (dexaky.blogspot.com)
*Blog da Pan (blog-da-pan.blogspot.com)
*Tudo de menina (tudodmenina.blogspot.com)
*Pieces of Brenda (piecesofbre.blogspot.com)
*Anotando sentimentos (notesfeelings.blogspot.com)
*NUvem de amor (nuvem-de-amor.blogspot.com)

quarta-feira, 23 de junho de 2010

O fim e o Começo


Ao instante de um passo, tudo mudou... A dor se transformou em monotonia e o amor em paixão. Esse tempo tão curto foi mais determinante que anos de ilusão, foi talvez essencial para evitar o pior. E como numa dança feliz tudo se transformou.

O amor que eu acredito hoje é totalmente divergente do qual um dia pensei ser imortal. O amor que eu acredito hoje não me deixa infeliz, nem iludida. E finalmente aprendi a me amar primeiro. aprendi a enxergar e ignorar o que me faz mal.

Borboletas voando contam-me segredos, aves reinam ao céu e corações precipitados ouvem o tilintar do sim. Será que tudo se transformou mesmo, ou apenas meus olhos passaram a ver coisa que eu não via? Difícil saber ao certo, mas seja qual for a procedência eu quero mais , afinal depois do fim vem o começo e depois o desenvolvimento, sempre nessa ordem.








Não esqueçam de votar na minha postagem do concurso no blog dexaky.blogspot.com a postagem é " mais que crianças mal criadas" agradeço desde já!

Selinho


Oi gente! O blog ganhou um selinho de parceria do " penso logo briso" que legal né?
Adorei o selinho!


Ahhh! O "Meu Blog" tá concorrendo num concurso de postagens. Votem em na minha!!! No box de enquete tem as concorrentes, votem em "mais que crianças mal criadas". E obrigado desde já!
o site é dexaky.blogspot.com

terça-feira, 22 de junho de 2010

Rumo ao Hexa!


Nos tornamos os mais nacionalistas, sentimos orgulho de vestir a camisa verde-amarela e gritar que somos os melhores. Juntamos a força de um povo batalhador com a simpatia pela festa e fazemos a felicidade. Em frente a uma TV, paramos nossas vidas para chorar ou rir de felicidade ou tristesa. Me perguntaram porque somos tão nacionalistas e eu respondi que é época de COPA. Mas isso é normal, eu também pintei uma mão de amarela e a outra de verde. Espero que eu não seja decepcionada! Vamos Brasil, vistam suas camisa e vamos buscar o HEXA!!!

domingo, 20 de junho de 2010

Selinho


O prêmio dardos é um reconhecimento dos valores que cada blogueiro emprega ao transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais , etc, que , em suma, demonstram sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras, entre suas palavras. Esses selos foram criados com a intenção de promover a confraternização entre os blogueiros, uma forma de demonstrar carinho e reconhecimento por um trabalho que agregue valor a web.

E as regrinhas são:

• Você deve exibir a imagem do selo em seu blog;
• Você deve linkar o blog pelo qual você recebeu a indicação;
• Escolher outros 15 blogs a quem entregar o prêmio dardos;
eu não tenho 15 blogs pra doar o selo, vou indicar pra os meus preferidos

- Indyoliveira.blogspot.com
- pensamentosloucuras.blogspot.com
- nuvem-de-amor.blogspot.com
- drenaweb.blogspot.com
- notesfeelings.blogspot.com
- cocainavirtual.blogspot.com
- meu-faz-de-conta.blogspot.com

• Avisar aos escolhidos sobre o selinho que eles ganharam.
quem vir aqui pode ficar a vontade pra pegar, mas assim que der eu passo de blog em blog avidando.
Obrigado pessoal!

domingo, 13 de junho de 2010

Verbalize


Diga que você não consegue conviver com a minha indiferença que eu direi que pra mim também é impossível. Diga que quando você me olha a sua vontade é que eu não saia do seu campo de visão que eu direi que meu dia é em vão quando não te vejo. Diga que a sua maior vontade é gritar ao vento o quanto me ama mas não tem coragem, que eu gritarei que te amo. Diga que quer ser algo a mais que meu amigo que eu perguntarei se você quer ser o meu namorado. Diga que a sua felicidade sou eu, que eu te farei feliz.

Veja como tudo é tão fácil, porque complicar? Porque atrasar, se você pertence a mim e eu a você? Se tudo encaixa tão perfeito? Grite com amor tudo que está "engasgado" em seu coração, grite e não se arrependa. Pege-me pelo barço e faça o que deve ser feito. Diga-me. Nada será aproveitado com o seu silêncio. Nada será resolvido, apenas esquecido. Não tenha medo! Verbalize...

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Confio em Você


Você agora parece me entender, parece acreditar em nós e parece conseguir me fazer acreditar também. Como um suspiro de amor a nuvem de felicidade se aproxima de nós e o encanto pertencente a meia noite faz votos de eternidade. Você com toda delicadeza e sinceridade motiva os anjos a agirem a seu favor e tudo conspira para isso. Você me olhou e não precisou dizer mais nada, mas mesmo assim espero que você esclareça.

Olhando o lago vi o meu reflexo e logo me veio a cabeça o seu sorriso particular e cintilante, seus ataques de timidez, meus ataques de espontaneidade. Me veio a cabeça tudo de bom que pode acontecer conosco, me veio a cabeça que tudo que eu queria era você. E olhando as estrelas quis ser uma a te proteger, quis voar sem temer o escuro, quis voar com você.

Pode confiar em mim, eu sei que você tem medo e eu te entendo. Mas pode confiar, sou incapaz de te magoar... Você é muito mais que um amigo. Você é muito mais que meu melhor amigo.

domingo, 23 de maio de 2010

...


Ri sozinha lembrando de você, do seu afeto incognita que sente por mim, das suas tentativas para me impressionar, do que você tenta aparentar na minha presença, mais maduro, mais responsável... Ri das minha suposições e da veracidade delas. Ri do tempo que perdi não te enchergando, não fazendo minhas suposições.Ri do seu medo e quis que não o sentisse.

Não sei como me vê... A menina extrovertida e meiga na metade do dia e na outro séria e responsável? A garota que quase nunca fica de mal humor? A amiga que insiste em dar conselhos mesmo quando não quer ser ouvida? A sua menina cheia de defeitos que você não consegue vê-los?

Você é especial, não sei ao certo quando e como descobri isso, mas não sei se seria capaz de ser totalmente feliz sem você... Gosto do seu sorriso, do seu jeito... Gosto de você.

sábado, 8 de maio de 2010

Mais que Crianças Malcriadas


Normal sentir dúvida, medo, aflição... Normal se apaixonar, amar, desistir... Anormal enfrentar sem medo os seus medos... Vivemos acreditando que tudo um dia muda, e realmente é o que acontesse. Vivemos proucurando uma saída para nossas decepções e sempre achamos. Vivemos sorrindo-chorando, sorrindo-chorando nessa ordem, e sempre sorrimos, e sempre choramos. Vivemos sonhando com liberdade e sempre alcançamos a independência. Vivemos esquecendo de esquecer o deve ser esquecido e vivemos criando personagens para suavisar a vida. Vivemos proucurando razões para o que é insano...
Exigimos o final feliz como crianças mimadas exigem o brinquedo... Exigimos amor de quem amamos, dedicação de quem nos dedicamos... Exigimos honestidade mas nos escondemos na primeira oportunidade para fugir das nossas frustrações... Exigimos respostas sem ter feito pergunta alguma... Agimos como crinças malcriadas.
Decoramos o que é viver, o que é amar, o que é escolher. Decoramos momentos ruins, fórmulas de física, dias felizes. Decoramos o que é ser feliz, quando devemos chorar e o que deve ser feito em determinadas situações. Decoramos e esquecemos de aprender...
Normal errar, lamentar, discordar... Normal fugir, sorrir, parar... Anormal odiar, insistir em se machucar, ser perfeito.

sábado, 1 de maio de 2010

Aos mais que amigos!






Donos do meu carinho, criadores dos meus sorrisos, indispensáveis em minhas vida. São eles as melhores pessoas que eu poderia encontrar, os melhores mais que amigos que poderiam existir. Vocês que me obrigam a chorar da realidade, rir das besteiras e ser feliz. Vocês que me obrigam a amá-los, a ser dependente. Encontro neles tudo que necessito, a paciência de Bê, as proibições de Bruna, a alegria de Juliana, o sorriso torto e o abraço acolhedor de Augusto e a ponderância de Emille.

Cada momento perfeito... Tantas aventuras e calmarias. Tantas vezes fui encorajada e outras inibida por vocês . Tantas vezes me "colocaram no colo" e outras me deram "um banho de água fria". Tantas vezes compartilhamos lágrimas e outras gargalhadas.

É bom ter vocês comigo... Bruna que me mima, me proíbe, me atira no mundo real com o coração na mão porque sabe que é necessário. Jully para rir e chorar comigo, que me escuta e me aconselha, que sempre está com o braço estendido quando mais necessito. Augusto que sempre fala do meu tamanho e das minhas unhas, que sempre me enche de felicidade quando o vejo, que espontâneamente é essencial e insubstituível. Emille que me faz companhia nos momentos mais monótonos e mais insanos, que me entende, me recrimina, me chama de lerda... Bê para quem conto meus segredos e ouço os dela, juntas fazemos as maiores loucuras imagináveis e os piores planos malignos, cumplices, sinceras, somos amigas que beiram a perfeição.

Aos mais que amigos desejo união e cumplicidade, desejo sempre ter vocês comigo, sempre me amando (sei que me amam!!!), me acolhendo, me divertindo... Quero que sempre sejam meus mais que amigos.

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Triste fim de um passado imperfeito


Eu estava bem ali, ouvindo o que jamais pude imaginar, ouvindo que tudo que um dia eu temi aconteceu. Palavras frias e cruéis, eu estava ali mas meu consciente estava nas importunas lembranças, no meu luto interno. Me disseram que eu já deveria estar preparada, mas como? Como se desapegar a sentimentos tão fortes em tão pouco tempo? Todas aquelas lágrimas foram uma simbolização ínfima de todo o choque do real e do imaginário que estava ocorrendo em mim. E as palavras cruéis continuavam sendo ditas disfarçadas com um tom sutil de consolo, as mais cruéis que eu poderia imaginar. Não vou ser hipócrita e dizer que ainda sofro, dizer que será um sofrimento eterno porque não será, já não sofro mais, apesar de esporadicamente ter lembranças que me fazem mal, eu não sofro mais. Não sinto mais a sensação de cair em um precipício de ilusões, não sinto mais aquele nó na garganta impossível de ser desatado, a angustia adormecida já não se manifesta quando menos espero, o infelicidade está muito longe de mim e você também...

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Está em nós!


O que é esse contentamento desmedido em meu coração que esforço-me para conseguir demonstrar apenas com um sorriso sempre que te vejo? Começo agora a duvidar de todas as minhas antigas e ainda tão presentes convicções, de todos os meus, e somente meus ideais de amor. Amor é sofrer por não ter, sofrer por perder o que não tinha e criar no outro um estereótipo de perfeição? Ou amor é ser compreendido e compreender, chorar e ter alguém que irá segurar a tua mão e que na verdade queria te colocar no colo e e proteger? O amor está no olhar doce de bom dia? Está no abraço desajeitado com o desejo retraído de ser mais profundo? Ou está nas meias palavras que criam ilusões?

Acho que sinto o amor todas as manhãs ao ficar aflita pra te ver, pra sentir você perto de mim e sorrir, todas as tardes ao pensar, pensar e pensar em você e todas as noites quando antes de dormir desejo acordar. Tu me ensinas a cada dia uma nova forma de superar meus traumas, um novo motivo para te amar, uma nova estratégia para erradicar o meu sofrimento...

Eu prometo sempre sorrir de tamanha alegria de te ver e por pouco tempo ser abraçada com desejo retraído de ser mais profundo. Eu desejo e preciso mudar os meus antigos conceitos de amor, sei que ele está em nós!

terça-feira, 6 de abril de 2010

Meu poema dadaísta!



O dadaísmo surgiu com o intuito de chocar a burguesia de 1916. Movimento criado em reflexo da revolta, agressividade, indignação e instabilidade que estavam vivenciando com a Primeira Guerra Mundial. Caso se interessem por poemas dadaístas de artistas mais famosos, proucurem por Tristan Tzara e o nosso querido Mario de Andrade.
FAÇA VOCÊ TAMBÉM O SEU POEMA:
1° Passo: Em algum momento de revolta escreva um poema com o que vinher na cabeça, sem se importar sem qualquer critério poético tradicional.
2° Passo: Recorte as linhas em tiras e as dobre
3° Passo: Faça um sorteio ao acaso e veja como vai montando o seu novo poema.

Quem for experimentar, após colocar no blog, manda o link para que eu possa visitar.
Vamos ver como o meu poema ficou:

A alegria de te ver acabou
Você em toda sua insignificância falhou
Eu, definitivamente, não te amo mais
Felicidade que tarda a chegar
Felicidade mentirosa
Eu não te odeio mais
Mas fique longe de mim
Que não sai do meu espírito
com toda hipocrisia que carrega
Dor profunda e amarga
A vontade de te ver acabou
Obrigado
Meu coração precisava dessa falha
Fique longe de mim
Senhor das Farsas Encantadas


FAÇA VOCÊ TAMBÉM... É DIVERTIDO!

segunda-feira, 29 de março de 2010

Me deixem sofrer!


Deixem eu viver a minha dor! Deixem eu aprender agora sentindo na pele o que todos me diziam. Deixem eu ficar um momento desse dia sem ouvir" eu te avisei". Deixem-me sozinha para que eu possa refletir sobre toda hipocrisia daquelas palavras.

Seu olhar mente, suas palavras mentem, suas atitudes são farsas. Você criou um estereótipo que não é seu e que eu deveria saber que não é de ninguém, ninguém é perfeito mas você é mentiroso. Isso mesmo, mentiroso. Tantas vezes me alertaram e tantas vezes ignorei conselhos, e quer saber? A esperança é meu pior defeito e o seu é essa mentira disfarçada de bondade.

Deixem então que eu veja com meus próprios olhos o quanto estive alienada. Deixem-me relembrar cada momento para que minha tristeza triplique e enfim eu me canse de toda essa sujeira que você causou. Deixem eu quebrar a minha cara sem ouvir que fui avisada. Porque só assim desistirei definitivamente.

terça-feira, 16 de março de 2010

O áspero olhar competitivo


Reconstruindo-me. Sinto todos os substantivos abstratos em mim modificando-se. Com visões mais amplas de mundo, tenho medo. Medo do que me espera. Sei que no momento propício saberei como agir, mas essa agitação e esse medo é inevitável. Tantan dúvidas e tantas escolhas me tiram a paciência e o meu única desejo é que isso não tarde a acabar.

Já sinto o individualismo a inha volta, partindo de mim também, uma realidade competitiva que já não me assusta, mas ainda entristesse. Deixar de ser ingênua e pensar mais em mim são imposições desse sistema que agora pertenço. Não existem vilões e vítimas, apenas lutadores e invejosos, futuristas e atrasados, predadores e fracos. Uma legítima cadeia alimentar.

Existem sentimentos inauterados, existem ainda as amizades verdadeiras e indestrutíveis, os companheiros de rir e pensar positivo, existem sim pessoas que não temem o conhecimento alheio. Esses raros casos estão presentes em minha vida. E que atire a primeira pedra quem suportaria toda essa situação sozinho.

segunda-feira, 8 de março de 2010

Nossa música


Olho-o e vejo em seus olhos singulares tudo que queres me dizer mas não tem palavras. Paro para observar a melodia a nos acompanhar e descubro a fantástica semelhança com a nossa história. Enfim uma música que ambos gostamos, a nossa música. Você toca a minhas mãos e espera um sinal, uma pronuncia, mas nada vem, a iniciativa de quebrar o encanto do momento não parte de nenhum de nós, e enquanto meus olhos fitam os seus imagino milhares de desfechos para nós, até o momento que canso e deixo o futuro a critério do acaso.

Chego em casa ainda aérea, relembrando cada detalhe, cada palavra e chego a conclusão que a nossa música não é aquela que tocava naquele momento. Nossa música é o toque do telefone quando sentimos saudades, é a batida da porta do carro quando vem me buscar, é o nosso riso que atrevessam o silêncio da sua sala de estar, são as perguntas que meu pai faz sempre que vem me ver, são os sussurros delicados os solos de guitarra feitos para mim. Nossa música vai muito além dos instrumentais, ele tem toda a essência das nossas perspectivas. Nela transparece toda a nossa ânsia de que tudo dê certo, toda nossa satisfação pessoal, todo sentimento que está sendo gerado.

Renuncio todos os sentimentos que antes me impediam de me reencontrar. Liberto-me e aceito o que me propôs. Aceito toda felicidade e amor que me ofereceu. Sim. Eu te digo sim, em público, como você sempre sonhou. Sim. Essa é a minha surpresa. Sim.

terça-feira, 2 de março de 2010

Meu Agora...


Será possível se apaixonar, quando ainda ama outra pessoa? Olho pro céu e desejo que realmente seja possível, que essa paixão acabe com o amor retraído e indesejável, esse parasita que atrapalha a minha vida. Olho pro céu e peço à Deus que isso seja obra dele.
Tudo conspira a favor, basta que eu faça a minha parte... basta que eu permita. Depois de tempos renegando emoções distintas sinto um fio de vida em meu coração, uma total agitação molecular em minhas células, um sorriso malicioso no canto da minha boca.
Você tem noção do que está provocando... E eu percebo sua satisfação prepotente a cada palavra dita a mim. você sabe de todo transtorno que está me causando com essas mudanças de emoções, mas é isso que quer, renovação. E eu olho pro céu e digo que também quero renovação. Quero aquele abraço quando sentir cólica, aquela piada quando estiver pensativa, aquele "eu te amo" a qualquer momento. Quero confiar em você e te contar aquele segredo, quero que confie em mim e também conte a mim os seus.
Sinto que estou cedendo... sinto essa paixão desobstruir o que o amor tinha sufocado, está agora tão perto,tão dominante... Sinto a luta contra inovações ser tomada pela harmonia dos sentimentos. Já é tarde para o amor, para AQUELE amor. Já é tarde para as renuncias, dúvidas, ilusões e resistências. Chega de histórias de amor com finais infelizes. Olho pro céu e peço que eu realmente não volte atrás.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Detalhes


Emoções sem sentido, descobertas que deveriam ser relevantes, acasos planejados. Cada detalhe torna-se tão valorizado, trás tanta satisfação. Sei que o meu descanso é quando sofro, sem ilusões, vendo a verdadeira face da situação. E nos momentos que me permite ficar radiante de felicidade, permaneço consciente que o depois será doloroso. Você age sem pensar, você derrama sobre mim a expectativa e a coragem de buscar.
Oculpo as páginas do meu diário com seu nome, enxergo nas músicas minhas palavras sendo destinadas a ti, ouço-as compulsivamente, atormento minhas amigas falando de você,prometo aprender a respirar sem te amar, mas logo canso e desisto. Porque você não meche apenas com a minha cabeça, não trata-se apenas disso, você provoca o meu coração, entra em sintonia com ele, meche com minha cabeça me forçando a ignorar a razão e te amar.
Amigos... Houve tempos que temi nem assim ser vista por você, chorei com medo do esquecimento e procurei adaptar-me caso isso ocorresse. Te amar não é fácil, não com tanta resistência. As vezes surpreendo-me com tamanha persistência, com toda a grandiosidade desse sentimento. Não compreendo como consigo manter-lo apenas com detalhes que deveriam ser relevantes, mas que me motivam surpeendentemente.
Não sei se consigo prometer conseguir respirar sem você mais... Não quero estabelecer metas tão altas pra mim neste momento, não quero prometer o que talvez não consiga cumprir...

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Culpado


Será a saudade uma prova de amor? Será que aquele forte acelerar do coração, significa alguma coisa? Será que as lágrimas de decepção dizem algo? Será que aquela música, que me faz lembrar você, um dia será nossa música?
Tua presença, mesmo sem sentir a sua respiração, seu cheiro e ouvir tua voz, me desarma covardemente, me anima e entristesse... Sei que esperar é um erro meu, mas é inevitável, você me faz não enchergar mais ninguém, você me faz preferir chorar do que buscar outra saída.
Tão perto e tão distânte, será que um dia cansarei...? Será que o amor um dia falhará e se destruirá? Será que um dia superarei todos os seus medos...? Será o tremor das minhya pernas perceptível a seus olhos?
Você é o culpado de tudo isso, único e simplesmente você... Você que leva a mim a ansiedade de te ver, de estar mais com você. Você com todas essas qualidades me escanta, e não me permite ver seus defeitos. Você que constroi e destroi tudo no mesmo segundo...
E esse silêncio me mata, ele se torna cada vez mais constante e profundo. E você pertence a mim, entenda, aceite... Fugir disso não é mais convencional, e você sabe que é verdade, que o que eu quero é o melhor pra nós dois... Vamos. Sem medo.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Acaso forçado


Guardado como diários secretos, o amor continua a persistir e liderar. Pensei no tempo associado com a distância como um remédio, mas se tornou um perigoso agravante. A saudade desanima quem tem esperança de recomeçar e a força de vontade não se manifesta por muito tempo.
É uma maluca resistência que me obriga a fazer renuncias definitivas, é uma constante dúvida cruel que não me permite jamais deixar morrer a minha esperança, é mergulhar em um mar e encontrar um abismo.
Nunca me contaram que amar era tão difícil e doloroso, e também não me contaram que não conseguiria livrar-me dele quando quisesse... É um sentimento tão insolente, que me deixa vulnerável e não obedece quando preciso, tão opressor que não me deixa outra saída.
Já abandonei a causa. Se é pra ficar feliz por um simples "Oi", sentir aquela saudade chata, ignorar toda a razão e confirmar a quem quiser ouvir que é amor... Tudo bem... estou mais encurralada do que se estivesse entre o fogo e o abismo... Tudo bem...
Não vou lutar contra, nem muito menos a favor, sabe aquela velha história de abandonar ao acaso? Vou retomá-la.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Imperfeitamente falando

  

O coração daquela garota já não é mais tão vulnerável como um dia já foi, já não é tão esperto, nem movido pelo amor. Ela foi tantas vezes enganada e desiludida, ela sofreu tanto que em um momento seu coração  já não se importava com esses pesares. Aquela garota já não tem mais esperança no olhar, ela não chora com tanta intensidade como antes, ela já desistiu, ela definitivamente desistiu.
    É impossível ver essa garota e não se comover, não temer um dia se tornar como ela, tão forte e morta. Ela criou uma fortaleza em seu coração a qual  ninguem conseguirá penetrar, ela se feichou para vida de forma que esqueceu completamente de viver.
    Um dia desejei ser um pouco como ela, mas agora penso que não é tão ruim ser sensível, um pouco vulnerável e principalmente, sentir esperança sempre. Não é tão ruim amar e chorar, é a vida, não pode querem mudar a realidade. É bom aprender com os erros por mais dor que isso cause, é bom olhar pro seu passado, julgar algo como um erro, achando-se superior àquele ato, e logo mais a frente cometê-lo outra vez e chorar como a 1° vez. É tão bom ser imperfeita e acreditar que encontrou alguem perfeito, dizer a todos e ninguém dar crédito. É bom ouvir uma música e achar nela a sua história, e aproveitar quando estiver sozinha para gritá-la ao vento como um grande desabafo. É bom prometer desistir e não se apaixonar outra vez da boca pra fora e ainda afirmar que não é da boca pra fora. Ser frágil e delicada, e acreditar que é apenas uma farsa para ser tratada com cuidado e igual delicadeza. Que atire a 1ª pedra a garota que nunca fez isso, que nunca se fez de bobinha, inocente e frágil para encantar alguem especial. É bom fazer isso né? Eu sei.
    Eu não trocaria essas emoções, eu não quero nunca ser forte e morta, eu quero amar, chorar e acreditar que tudo sempre pode melhorar. Quero sempre acordar e ficar ansiosa para ver alguém, ensaiar em frente ao espelho como dizer um Oi e tremer na hora. Quero sim que em meu coração exista alguns tijolinhos, mas que esses sirvam apenas como cercado. Quero ser para sempre essa garota imperfeita, que transborda esperança no olhar.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Fifteen


A ponto de abandonar meus tão sonhados 15 anos, vejo que toda aquela fantasia de melhor idade é uma farsa... Não é nada fantástico ou inacreditável. Quando temos 15 anos continuamos a errar, a ser limitada, a ser exigida sempre mais... 15 não é uma idade curinga, é apenas a idade que achamos que já podemos determinar o que é pra sempre, a idade que pensamos que viveremos tudo desejado e que nada nos impedirá, porque quando temos 15 anos as pessoas costumam acreditar que a futilidade é a base de tudo, e os pais temem lágrimas com medo da tão comum depressão, e por isso é necessário chorar escondido com a porta do quarto trancada. Com 15 anos acreditamos e desacreditamos em contos de fadas da mesma forma de quando tínhamos 5 anos, cedemos as chantagens emocionais dos pais assim como quando tínhamos 10 e temos medo de nos apaixonar como pela 1° vez. Com 15 anos derramamos a 1ª lágrima por ter dúvida quanto ao nosso futuro e a ultima por não ganhar o presente escolhido...

15 é a mudança de fase, a transição entre a vontade de mais e a responsabilidade, 16 é o início de uma nova fase com diversas faces.

sábado, 2 de janeiro de 2010

RETRÔ 2009


Adeus ano velho, feliz ano novo...


2009 foi um ano meio parado... Sofri muito mas também dei gargalhadas incontroláveis, sorri por costume e registrei tudo na memória. Um ano intenso na verdade, houveram momentos que gritei de raiva e alegria, chorei de emoção e tristeza, desculpei-me por erros alheios. Foi um ano que pela 1ª vez não precisei dar adeus a ninguém, nem derramei muitas lágrimas... Aprendi a amar verdadeiramente e renunciar o que me faz sofrer...


Foi em 2009 que me ultrapassei em esforços, que pude ajudar a todos que estavam ao meu alcance... Foi em 2009 que descobri que todo esse esforço não é nada do que me exigirão daqui pra frente...


Descobri pessoas especiais como Augusto, Priscila Pinheiro e Erick que se tornar amigos indiscutivelmente essenciais. Redescobri amigos para todas as horas como Tatiara, Patrícia, Amanda, Thais e Carlinhos. Vivi momentos mais que especiais com Bê e minha prima Emille, minha BFF's. Senti saudades de Maria. Me reaproximei de amigas de infância(Bruna e Lari) e tive com a minha família uma relação de pro companheirismo... Você amigos, durante esse ano, foram personagens principais da minha vida, estavam sempra ao meu alcance, estavam sempra comigo.


Como esquecer as tardes desperdiçadas por mim e por Bê tirando fotos e comendo besteiras? Ou os dias de férias como professora de diversas matérias? Como esquecer a paciência de Algusto aturando a conversa beeem cor-de-rosa minha e de Bê no shooping ou no ônibus? Ou as minhas "brigas" sem fundamento com Paty? Os conselhos intermináveis dados a Taty? As músicas de Erick? A aliança fortalecida entre eu e Emille? A amizade a distância entre eu e Dandara mais forte que eu já vivi? Tudo é muito inesquecível!


Em 2009 a união e o comprometimento do 2° B foi percebido e recompensado. Quem um dia vai esquecer o "Hipi Hipi? Urra!", em Boi? E da campanha do leite que ganhamos de lavada? Do trabalho das fotos que corremos risco de vida?rsrsrsrs, Das festas surpresa de aniversário? Das conversas conselheiras opressoras de LOBO? Quem um dia vai ousar esquecer??? Nem que seja do sermão diário de Josenete lembraremos...


Não me arrependo de nada acontecido em 2009... Acho que fiz o que deveria ser feito, sei que em tudo houve as mão de Deus.


Desejo para 2010 um ano com dificuldades a serem atravessadas, já que sem elas não iria a lugar algum. Desejo saúde a todos, Amor, Sabedoria e Deus no coração. Que 2010 seja um ano de dedicação e sucesso...


FELIZ 2010 A TODOS!

e sucesso em todos os vestibulares.