segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Acaso forçado


Guardado como diários secretos, o amor continua a persistir e liderar. Pensei no tempo associado com a distância como um remédio, mas se tornou um perigoso agravante. A saudade desanima quem tem esperança de recomeçar e a força de vontade não se manifesta por muito tempo.
É uma maluca resistência que me obriga a fazer renuncias definitivas, é uma constante dúvida cruel que não me permite jamais deixar morrer a minha esperança, é mergulhar em um mar e encontrar um abismo.
Nunca me contaram que amar era tão difícil e doloroso, e também não me contaram que não conseguiria livrar-me dele quando quisesse... É um sentimento tão insolente, que me deixa vulnerável e não obedece quando preciso, tão opressor que não me deixa outra saída.
Já abandonei a causa. Se é pra ficar feliz por um simples "Oi", sentir aquela saudade chata, ignorar toda a razão e confirmar a quem quiser ouvir que é amor... Tudo bem... estou mais encurralada do que se estivesse entre o fogo e o abismo... Tudo bem...
Não vou lutar contra, nem muito menos a favor, sabe aquela velha história de abandonar ao acaso? Vou retomá-la.

1 comentários:

ಌMemyಌ disse...

Amei o texto!!Beijo.