segunda-feira, 29 de março de 2010

Me deixem sofrer!


Deixem eu viver a minha dor! Deixem eu aprender agora sentindo na pele o que todos me diziam. Deixem eu ficar um momento desse dia sem ouvir" eu te avisei". Deixem-me sozinha para que eu possa refletir sobre toda hipocrisia daquelas palavras.

Seu olhar mente, suas palavras mentem, suas atitudes são farsas. Você criou um estereótipo que não é seu e que eu deveria saber que não é de ninguém, ninguém é perfeito mas você é mentiroso. Isso mesmo, mentiroso. Tantas vezes me alertaram e tantas vezes ignorei conselhos, e quer saber? A esperança é meu pior defeito e o seu é essa mentira disfarçada de bondade.

Deixem então que eu veja com meus próprios olhos o quanto estive alienada. Deixem-me relembrar cada momento para que minha tristeza triplique e enfim eu me canse de toda essa sujeira que você causou. Deixem eu quebrar a minha cara sem ouvir que fui avisada. Porque só assim desistirei definitivamente.

terça-feira, 16 de março de 2010

O áspero olhar competitivo


Reconstruindo-me. Sinto todos os substantivos abstratos em mim modificando-se. Com visões mais amplas de mundo, tenho medo. Medo do que me espera. Sei que no momento propício saberei como agir, mas essa agitação e esse medo é inevitável. Tantan dúvidas e tantas escolhas me tiram a paciência e o meu única desejo é que isso não tarde a acabar.

Já sinto o individualismo a inha volta, partindo de mim também, uma realidade competitiva que já não me assusta, mas ainda entristesse. Deixar de ser ingênua e pensar mais em mim são imposições desse sistema que agora pertenço. Não existem vilões e vítimas, apenas lutadores e invejosos, futuristas e atrasados, predadores e fracos. Uma legítima cadeia alimentar.

Existem sentimentos inauterados, existem ainda as amizades verdadeiras e indestrutíveis, os companheiros de rir e pensar positivo, existem sim pessoas que não temem o conhecimento alheio. Esses raros casos estão presentes em minha vida. E que atire a primeira pedra quem suportaria toda essa situação sozinho.

segunda-feira, 8 de março de 2010

Nossa música


Olho-o e vejo em seus olhos singulares tudo que queres me dizer mas não tem palavras. Paro para observar a melodia a nos acompanhar e descubro a fantástica semelhança com a nossa história. Enfim uma música que ambos gostamos, a nossa música. Você toca a minhas mãos e espera um sinal, uma pronuncia, mas nada vem, a iniciativa de quebrar o encanto do momento não parte de nenhum de nós, e enquanto meus olhos fitam os seus imagino milhares de desfechos para nós, até o momento que canso e deixo o futuro a critério do acaso.

Chego em casa ainda aérea, relembrando cada detalhe, cada palavra e chego a conclusão que a nossa música não é aquela que tocava naquele momento. Nossa música é o toque do telefone quando sentimos saudades, é a batida da porta do carro quando vem me buscar, é o nosso riso que atrevessam o silêncio da sua sala de estar, são as perguntas que meu pai faz sempre que vem me ver, são os sussurros delicados os solos de guitarra feitos para mim. Nossa música vai muito além dos instrumentais, ele tem toda a essência das nossas perspectivas. Nela transparece toda a nossa ânsia de que tudo dê certo, toda nossa satisfação pessoal, todo sentimento que está sendo gerado.

Renuncio todos os sentimentos que antes me impediam de me reencontrar. Liberto-me e aceito o que me propôs. Aceito toda felicidade e amor que me ofereceu. Sim. Eu te digo sim, em público, como você sempre sonhou. Sim. Essa é a minha surpresa. Sim.

terça-feira, 2 de março de 2010

Meu Agora...


Será possível se apaixonar, quando ainda ama outra pessoa? Olho pro céu e desejo que realmente seja possível, que essa paixão acabe com o amor retraído e indesejável, esse parasita que atrapalha a minha vida. Olho pro céu e peço à Deus que isso seja obra dele.
Tudo conspira a favor, basta que eu faça a minha parte... basta que eu permita. Depois de tempos renegando emoções distintas sinto um fio de vida em meu coração, uma total agitação molecular em minhas células, um sorriso malicioso no canto da minha boca.
Você tem noção do que está provocando... E eu percebo sua satisfação prepotente a cada palavra dita a mim. você sabe de todo transtorno que está me causando com essas mudanças de emoções, mas é isso que quer, renovação. E eu olho pro céu e digo que também quero renovação. Quero aquele abraço quando sentir cólica, aquela piada quando estiver pensativa, aquele "eu te amo" a qualquer momento. Quero confiar em você e te contar aquele segredo, quero que confie em mim e também conte a mim os seus.
Sinto que estou cedendo... sinto essa paixão desobstruir o que o amor tinha sufocado, está agora tão perto,tão dominante... Sinto a luta contra inovações ser tomada pela harmonia dos sentimentos. Já é tarde para o amor, para AQUELE amor. Já é tarde para as renuncias, dúvidas, ilusões e resistências. Chega de histórias de amor com finais infelizes. Olho pro céu e peço que eu realmente não volte atrás.