segunda-feira, 8 de março de 2010

Nossa música


Olho-o e vejo em seus olhos singulares tudo que queres me dizer mas não tem palavras. Paro para observar a melodia a nos acompanhar e descubro a fantástica semelhança com a nossa história. Enfim uma música que ambos gostamos, a nossa música. Você toca a minhas mãos e espera um sinal, uma pronuncia, mas nada vem, a iniciativa de quebrar o encanto do momento não parte de nenhum de nós, e enquanto meus olhos fitam os seus imagino milhares de desfechos para nós, até o momento que canso e deixo o futuro a critério do acaso.

Chego em casa ainda aérea, relembrando cada detalhe, cada palavra e chego a conclusão que a nossa música não é aquela que tocava naquele momento. Nossa música é o toque do telefone quando sentimos saudades, é a batida da porta do carro quando vem me buscar, é o nosso riso que atrevessam o silêncio da sua sala de estar, são as perguntas que meu pai faz sempre que vem me ver, são os sussurros delicados os solos de guitarra feitos para mim. Nossa música vai muito além dos instrumentais, ele tem toda a essência das nossas perspectivas. Nela transparece toda a nossa ânsia de que tudo dê certo, toda nossa satisfação pessoal, todo sentimento que está sendo gerado.

Renuncio todos os sentimentos que antes me impediam de me reencontrar. Liberto-me e aceito o que me propôs. Aceito toda felicidade e amor que me ofereceu. Sim. Eu te digo sim, em público, como você sempre sonhou. Sim. Essa é a minha surpresa. Sim.

1 comentários:

Bárbara Lopes disse...

Oi td bom?
Visitei seu blog e gostei muito dele!
Vc escreve muito bem!!!
bjooooooo