sexta-feira, 23 de abril de 2010

Triste fim de um passado imperfeito


Eu estava bem ali, ouvindo o que jamais pude imaginar, ouvindo que tudo que um dia eu temi aconteceu. Palavras frias e cruéis, eu estava ali mas meu consciente estava nas importunas lembranças, no meu luto interno. Me disseram que eu já deveria estar preparada, mas como? Como se desapegar a sentimentos tão fortes em tão pouco tempo? Todas aquelas lágrimas foram uma simbolização ínfima de todo o choque do real e do imaginário que estava ocorrendo em mim. E as palavras cruéis continuavam sendo ditas disfarçadas com um tom sutil de consolo, as mais cruéis que eu poderia imaginar. Não vou ser hipócrita e dizer que ainda sofro, dizer que será um sofrimento eterno porque não será, já não sofro mais, apesar de esporadicamente ter lembranças que me fazem mal, eu não sofro mais. Não sinto mais a sensação de cair em um precipício de ilusões, não sinto mais aquele nó na garganta impossível de ser desatado, a angustia adormecida já não se manifesta quando menos espero, o infelicidade está muito longe de mim e você também...

3 comentários:

SMM disse...

Oi, gostei do post! Se quiser me visitar, http://sindromemm.blogspot.com

.Duda. disse...

ooowing..amei!!

mt maraa...
d ond vem inspiraçaum pra escrever essas coisas? (maraas)
*-*

bjs

Indy Oliveira* disse...

Muito massa amiga...ah,eu criei coragem e postei um...