terça-feira, 7 de setembro de 2010


Mesmo fazendo tanto tempo que terminamos eu não conseguia parar de pensar em você. Passando pela nossa praça resolvi parar um pouco. Sentei-me num banco e lembrei do dia em que tudo começou, você estava inseguro e temia o meu não e quando eu disse sim seus olhos denunciaram a sua felicidade. Lembrei também das nossas últimas brigas e o quanto subjetiva e não menos dolorosa foi a nossa separação. Lembrei do dia anterior quando nos esbarramos pela rua e você ficou encabulado e aflito ao me ver, dizendo apenas um “Oi” e dando as costas para mim. Questionei-me mais uma vez o porquê que amores tão verdadeiros acabam assim, sem sentido algum? Mas não demorei muito para desistir de achar uma resposta.

Levantei do banco para retornar a minha rotina e quando olhei a minha volta reconheci a sombra do seu cabelo, a pele dos seus braços e a maneira de sentar. Era você, sem dúvida alguma, e eu sentia o meu coração bater na minha garganta. Você estava de costas, mas não hesitei em caminhar em sua direção e a cada passo sentia as minhas pernas falharem. Eu te amava. Eu ainda te amava.

Você reagiu como se soubesse da minha presença e virou-se para mim. Parei. Olhamos fixos um para o outro por poucos minutos, que pareciam eternos. Sentei-me do seu lado, mas não conseguia pronunciar frase alguma e você também optou pelo silêncio. Senti a sua mão se aproximar das minhas e enrubesci por isso, mas permiti. Você as segurou e olhou-me com uma interrogação estampada nos seus olhos. Aproximei lentamente os seus lábios dos seus e não lembro mais de nada que aconteceu depois. Me recordo apenas de algumas frases suas como “ vamos tentar mais uma vez?” e “você é a única pessoa que amei esse tempo todo...”

-Você me deixou muito romântico nessa história, amor... Não foi bem assim crianças - disse ele aos nossos netos e todos riram.

-Querido, as crianças já conhecem essa história mais até do que nós...

-É vovô... Nós já sabemos que você era um príncipe encantado igual ao da Branca de Neve – Disse Anna Sophia, nossa netinha de apenas um aninho.

-Vó, conta a história do dia do casamento?

-Hoje não Jullia, já estou bem cansada. Vão brincar!
E eles saíram correndo sem nem relutar.

-Nossa história é muito linda, querida.

-A mais linda de todas!

O beijei. Não eram mais aqueles lábios de 40 anos atrás mas ainda eram os melhores para mim.

8 comentários:

Juu ♥ disse...

Nossa, que lindo esse texto! Foi um dos seus melhores, flor! Te adoro <3

Matheus Gaudard disse...

Concordo, mas não que foi um dos melhores... é difícil escolher uma obra que valorize como a melhor... Tá de PARABÉNS!!! Adorei mesmo esse mini romance... se eu fosse vc continuaria contando a História em um livro... adoraria ler o romance, entre esse e mil outros post seus dão bons livros... pense bem!

Bjão e abraços...

Vanessa Ribeiro disse...

Nossa que lindo, arrepiei :O Espero um dia ter uma história assim para contar aos meus netos *-* Vota no mue blog? http://www.blogbooks.com.br/blogs/votando/YmxvZ2Jvb2tzXzE1NzI=
Beijos

Carl.inháh disse...

Muito obrigado pessoal! E Matheus, vou pessar mesmo nisto

beijos

Destiny Hope disse...

ooooooowwwwinn mto lindo!
me emocionei pakas!!
*o*

nossa a hitoria é linda e prende a gente e ainda dexa com goosto de qero mais!
meiii
mto perfeito!

Priscila disse...

legal adorei .pf me segue e comenta la.

Vick & Lana disse...

que fofo!
quero avisar que o meu blog mudou
agora é o lindadmorder.blogspot.com
bjokas!

#ofcloud disse...

Nossa que lindo ! vou passar por aqui sempre ! da uma olhadinha la no blog !