sábado, 26 de fevereiro de 2011

Como Vai Você?


Sinto-me culpada, por que parece ser eu a única que sente saudade, a única que ama, a única que chora. Sinto-me irritada por não conseguir superar, por não suportar a distância, por querer tê-lo sempre mais. Sinto-me desafiada e só por isso ainda resisto, só por isso eu ainda amo fingida, só por isso ainda estou aqui....

Você sabe controlar o amor? Espero que sim, por que se não a única resposta concreta que terei é que você não me ama. Vou te confessar nesses breves minutos que nunca achei que você fosse forte o suficiente para conseguir ficar longe de mim... Assumo ser uma presunção absurda, mas eu realmente não consigo enxergar-lhe sem os meus cuidados, sem as minhas ordens e sem as minhas reclamações. Sempre irá faltar algo em ti, enquanto eu não estiver ai. Sempre irá faltar um pedacinho de mim, enquanto eu não for tua.

Mas o tempo passa, e ele tem sido o meu amigo. O tempo tem cuidado de mim, tem me protegido enquanto estou distraída, mais até do que o acaso... O tempo tem me colocado no colo enquanto choro e tem segurado a minha mão para atravessar a rua. O tempo me disse que tudo vai passar. E eu aposto tudo nisto.

Mas eu queria saber como você está... Queria saber o que tem amado... Sei que já não me importa, mas o teu noivado se aproxima junto ao teu aniversário e tudo isso me deixa aflita, por que será mais uma prova que te perdi, que você jamais será meu... Mas o que você tem amado? Eu queria saber, porque depois de você só amei o sol, os livros e o sono. Depois de você, vivo na expectativa de ouvir o toque do meu telefone, vivo tentando te esquecer, e isso tem me deixado exausta, e por isso adormeço todos os dias com a esperança de que o amanhã talvez não seja tão difícil.

Por Carla Maria, com saudade do MEU Di...

“Como vai você? Eu preciso saber da sua vida. Peço alguém pra me contar sobre os seus dias, anoiteceu e eu preciso só saber... como vai você?”

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Descobrindo o lado bom...


Não conversei com a minha melhor amiga, mas ouço-a falando “Vamos procurar um lado legal de tudo isso?” então resolvi tentar antes mesmo que ela me propusesse e descobri vários ângulos para enxergar.

Ficar triste pode não ser tão ruim assim. É quando estamos tristes que temos as melhores inspirações e quando notamos as mais belas músicas. Tenho notado tantas músicas ultimamente, e em uma delas achei uma frase legal. “As cores lá fora me disseram pra continuar, elas me disseram pra continuar e eu já superei, mas eu queria as suas mãos nas minhas...”, da banda Cine. Pude notar também pessoas que nunca havia reparado e pude estar mais com os meus amigos e fazer programações divertidas. Já tinha me esquecido o quanto é bom ficar grudada às minhas amigas, fofocando e falando sobre cutículas (rsrsrsrs). Eu já tinha me esquecido o quanto é bom gastar todos os meus créditos falando bobagens com a minha melhor amiga... Eu já tinha me esquecido que tenho uma vida e que é bom sair de casa e só precisar se justificar para meus pais.

Hoje, eu ainda vou dormir triste. Triste de saudade, mas é um sentimento saudável, sem rancor algum. Estou acostumada a me desfazer de sentimentos e imagino que logo estarei bem outra vez. Hoje antes de dormir, eu sei que realizarei o mesmo ritual de todos os últimos dias. Olhar, olhar e olhar o número dele na dúvida se “deleto” da minha lista ou se tento ter mais uma palavra dele. Hoje eu sei que vou demorar pra dormir pensando no que será melhor. Mas, sei também que a segunda opção é impossível e que mais cedo ou mais tarde a primeira vai falar mais alto. Sei também que estou quase feliz e que falta pouco para a liberdade. Mas hoje eu sei que estou propícia a recaídas e amanhã eu sei que me arrependerei e “deletarei” tudo que me faça cair em tentação de novo.

Por Carla Maria, num dia que ela já não estava mais tão triste.

carlinhamaryblog@hotmail.com

sábado, 19 de fevereiro de 2011

1200 Segundos


Olá pessoal! Essa é a nossa primeira entrevista. Espero que gostem, por que fiquei muito ansiosa para publicá-la. Acho que por que a nossa entrevistada de hoje é uma pessoa muito criativa, alguém que gostei de conversar e que já importunei com a minha tagarelice. Ela falou que “Dizem que tenho uma personalidade muito forte... me estresso super fácil, sou péssima cozinheira~ ;P e tenho dom de liderança (dizem as pessoas neh xD)”

Quando começamos a nossa entrevista, ainda não éramos conhecidas. Convidei-a por que adoro seu blog e também, por ela sempre participar do meu. Então, como boas estranhas, eu comecei dizendo: “Olá Alissa! Bom Trabalho”. Mas com o passar dos questionamentos que lhe fazia, fui descobrindo aos poucos quem era ela, e nem vou negar que ela é uma fofa. E não é por que ela me ouviu falar de todos os meus problemas e blá-blá-blá, ela é realmente legal!

Alissa mora em São Paulo, e está contando os dias para o seu aniversário de 14 anos... Quando ela me disse isso, senti saudade da época que eu também ficava ansiosa para chegar o dia de ficar mais velha... Bom Alissa, todos chegam numa idade em que não queremos mais ficar velha e que torcemos para que alguém ligue e quando o telefone toca, reviramos os olhos, se fazendo de difícil, para quem estiver por perto pensar que você não queria receber parabéns! rsrsrs (eu faço isso).

Perguntei-lhe qual o estilo preferido de música e ela me respondeu: “Gosto de música americana e japonesa estilo pop, ou aquelas músicas que fazem você ter um “flashback” na mente! xDD” e no momento que ela me disse isso, lembrei de uma série de músicas que fazem isso comigo... então pra quem quiser ouvir algo, experimenta “Mine” de Taylor Swift e “Hey, soul sister” de Train. Elas me fazem lembrar muitas coisas...

Quis deixar a conversa mais animada e perguntei sobre os garotos, ela disse que apesar de nunca ter tido um relacionamento acredita que o mais importante para eles numa garota depende da garota, mas que a maioria gosta “de garotas fiéis a eles (...e bonitas xD) e que saibam ser frágeis em alguns momentos pra que eles possam ter a chance de defendê-las as vezes. (é que nós garotas somos muito mais fortes que eles) hahah! Brincadeira! =x” disse ela. E quando eu instiguei mais um pouco e perguntei se havia algum carinha que ela gostasse e não a correspondeu ou algo do tipo ela preferiu não comentar. (fui bem entrona, né?) rsrsrs. Perguntei também, “Se você amasse alguém que estivesse longe demais de você, o que faria? Abandonaria tudo por ele?”. E ela foi fofa quando respondeu “Hm...eu nunca estive numa situação dessas, por isso não sei bem o que eu sentiria nesse momento mas, eu acho que sim...tenho o coração mais mole que gelatina (apesar de não parecer) =x” .

Pensando no meu público masculino, pedi a opinião da Alissa, sobre o que ela acha que para uma menina é importante num menino e ela entregou, “garotos fiéis, inteligentes, simpáticos, que façam a gente rir em todos os momentos e que sejam carinhosos...; 3”. Devo assumir que ela não poderia ser mais verdadeira. Acho que é realmente o que procuramos.

Neste momento da entrevista, eu já estava me sentindo amiga de infância da Alissa. Ela é tão divertida... Aí fiquei curiosa e perguntei qual o tipo de leitura que ela mais gosta e ela declarou, “Gosto de aventura, suspense e uma pitada de romance ;x Revista...eu compro todo mês a Atrevidinha. Livros eu recomendo: Poderosa, O diário de um banana, A ilha perdida, A décima terceira Marian e Goosebumps. Tem muitos outros mas, como eu disse, são MUITOS mesmo! xD” E não querendo ser uma intrusa, mas já sendo, queria recomendar também o meu livro preferido “A última música” de Nicholas Sparks, tem o filme também... que diferente das comuns adaptações, ele é tão bom quanto o livro.

Pedi que ela me dissesse qual o objetivo dela quando fez o blog, “No começo eu sinceramente não tinha nada em mente, juro! Mas com o passar do tempo meu tio e minha prima sempre apoiaram (por comentários) e comecei a ganhar seguidores...me empolguei e hoje posto no blog coisas que acontecem comigo e faço uma ilustração sobre isso! Ou as vezes posto uns desenhos de quando fico inspirada sem motivo sabe? xD” me disse. Aí... para fazer a média do “Meu Blog” perguntei, o que ela achava dele e se sugeria alguma mudança. E ela foi ainda mais fofa e respondeu: “ Amo este blog por que os textos são extremamente lindos (e o visual também) Sem contar que adoro a escritora deste blog ;D Não precisa mudar NADA nele! Está perfeito SEMPRE!” e me contou que o conheceu num momento de tédio, que ficou clicando em “próximo blog” até que achou o “Meu Blog” que prendeu a sua atenção. Que sorte a minha em?!

Para finalizar, perguntei-lhe se havia mais algo que queria falar e ela foi simples e meiga quando disse: “Muito obrigada por me convidar para esta entrevista Carlinha! Juro que fiquei MEGA-FELIZ quando recebi o convite! Apesar de que estou com um pouco de vergonha por esta entrevista ser publicada em um blog de tantos seguidores...;x Leitores do Meu Blog, agradeçam por este blog existir! *---* Beijos pra todo mundo e obrigada² ^^”

Beijos Alissa, adorei lhe conhecer!

Conheçam o blog dela: alissa-nakamatsu.blogspot.com

Quer ser o próximo(a) entrevistado(a)? Fale comigo:

carlinhamaryblog@hotmail.com


OBS:. Para quem me prometeu estar aqui... Eu Sinto Sua Falta.

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Odeio Vocês!


Eu não acreditei quando vi que tudo havia ido embora. Não acreditei que fui abandonada duas vezes e inesperadamente. Não acreditei que os dois foram capazes de fazer isso comigo. Devem ter combinado tudo, errada fui eu ceder a todos os pedidos, errada fui eu em amar tanto um desconhecido e desvalorizar tanto o real, errada sou eu em sofrer com tudo isso. Mas eu fui abandonada e preciso falar o que passa aqui, dentro de mim. Preciso falar, por que não é característica minha ficar calada. Preciso dizer que eu odeio vocês. Um menos do que o outro, mas odeio os dois.

Devo ter algum problema que afasta as pessoas de mim, não todas as pessoas, mas eles, e é isso que me importa agora. Devo ter feito tudo errado. Devo ter passado dos limites. Verdade? Quem se arrisca a responder? Nenhum, eu aposto. São todos covardes e minha mãe sempre me disse isso. O engraçado é que sempre temos a esperança de que encontramos alguém diferente, mas nunca passam de esperanças, por que todos eles são exatamente iguais. Fingem, mentem, falam da boca pra fora que amam. Mas claro, nem sabem o que é o amor, são apenas infantis e idiotas, são apenas aqueles que não valem a pena ficar junto. E eu odeio vocês!

Eu esperava tudo diferente. Esperava primeiro que me amassem e depois que me considerassem. Mas vocês foram cruéis. Um eu sei que irá se arrepender, é sempre isso que acontece, não é mesmo? O outro não vai mais me procurar e talvez esse seja o que me faça mais falta. Mas eu não quero que me procure. Na verdade, quero que essa seja a última vez que leiam as minhas coisas. Não venham mais aqui procurar algo, por que não encontrarão. Essa será a ultima vez que lembro e choro por tudo que sinto por vocês. Essa será a última vez que digo o quanto os amo. Então não venham mais aqui e isso vale, sobretudo, para quem me prometeu estar aqui, não quero mais que se lembre de mim. Viva a sua vida. Esqueça-me por que farei isso também. E você que ainda vai me procurar, desista.

Eu odeio vocês, um mais do que o outro por que deste eu não esperava. Um mais do que o outro por que deste eu realmente gostava. Um mais do que o outro, por que este foi o que mais me magoou. Mas eu odeio os dois.

Carlinhamaryblog@hotmail.com -> fale comigo!

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Distar


“A mais bela ponte construída no planeta é a distância entre um olhar e outro” (Mário Prata)
Achei essa frase faz alguns dias, nem me lembro de onde, mas assim que a vi quis escrever sobre isso. Talvez por que eu a ache bem verdadeira.

Tenho aprendido nos últimos meses o que é a distância. Sempre me limitei a acreditar que distância era aquela a qual eu mantinha das minhas amigas durante as férias de verão ou, de maneira denotativa, àquela que sentimos quando estamos próximos de um fim de namoro. Hoje, vejo a distância como mágica e simultâneamente inimiga, talvez por que ela dá espaço para fantasias e instabilidades... Mas quem um pouco me conhece, sabe que abomino a rotina e a falta de criatividade.

A distância planta medos, mas quem sou eu para falar de medo? Nunca fui corajosa... A distância trás consigo desejos auto destrutivos e faz de nós, reféns destes. A distância transforma pessoas, e o que me surpreendeu na frase, pois jamais havia pensado, foi que a distância constrói pontes lindas de amor, amizade e saudade.

Não gosto da distância, mas devo assumir que nos últimos meses ela despertou a minha curiosidade e por ela criei um encanto, mesmo assim, eu adoraria destruí-la.


domingo, 6 de fevereiro de 2011

Como te Dizer que Tenho que Ir?


Posso te dizer adeus e fechar as portas de acesso a mim? Não. Posso te explicar os meus motivos e ouvir as suas súplicas? Também não. Sei que posso te dizer adeus, ignorando e desconsiderando os meus sentimentos. Sei também que não posso viver completa sem você... Sem a sua dedicação à mim... Sem os meus carinhos em você... Mas o que fazer se eu tenho que ir?

Não quero, mas eu devo ir e te abandonar, devo ver você chorar dizendo repetidas vezes que me ama e ser fria o bastante para manter o controle, devo ouvir você gritar e me culpar por você ter desistido de tudo por mim, devo sofrer por estar fazendo quem mais amo sofrer...

Vi as nossas fotos e a nossa felicidade. Busquei um dia infeliz, mas parecia impossível. Encontrei em cada olhar meu, cristais de amor e nos seus, de adoração. Passei a crer que nada daquilo era uma farsa e sim uma loucura disfarçada de brincadeira. Percebi que você não era um acessório em minha vida e que eu não conseguiria ir. Mas eu tinha que ir...

Olhei mais uma vez as minhas malas e como num surto, as desfiz. Deletei as ridículas ideias de abandono e corri para teus braços buscando o que era meu... Busquei e encontrei o seu amor, a sua compreensão e o seu consolo, percebi o quanto eram meus todos esses sentimentos e o quanto eram importantes para mim. Brinquei com o seu cabelo, como rotina, e notei que não preciso ir, que o meu lugar é ao seu lado e ao seu domínio.

carlinhamaryblog@hotmail.com

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Boas recepções!

O "Meu Blog" acabou de voltar e já ganhamos selinhos muito meigos do:

http://alissa-nakamatsu.blogspot.com/







Muito Obrigada flor!






















quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Meu Retorno


Depois de dois meses sem postar texto aqui, fiquei meio em dúvida de como retornar o ofício. Decidi então comunicar que durante este tempo inativo conheci novas pessoas em quem me inspirar, descobri que o amor nem sempre está por perto e senti muita saudade dos meus leitores.

Como todo bom retorno, devo lhe explicar os nossos novos “esquemas”. O “Meu Blog” se tornará muito mais interativo em 2011. Disponibilizarei um e-mail de uso único para o blog, no qual poderei tirar dúvidas, ouvir sugestões e , uma novidade, onde faremos as nossas entrevistas. Sim! Teremos periodicamente entrevistas sobre diversos assuntos e, mais uma novidade, não só com garotas mas também com garotos.
Tal quadro foi batizado de ”1200 segundos”. O critério de convite para as entrevistas será pautado no nível de interação do leitor com o blog, em outras palavras, pessoas que tenha o hábito de comentar os textos. Além deste critério, alguns amigOs meus serão intimados a tirar as nossas dúvidas.
Gostou do nosso novo programa? Então participe. Mande as suas sugestões de perguntas ou tire as suas dúvidas comigo, tendo a opção se serem identificados ou não aqui no “Meu Blog”.

Ah! Só para não gerar desespero ou alegria excessiva, não deixarei de postar os meus textos os quais vocês estão tão habituados, afinal este é o meu princípio básico de estrutura editorial do “Meu Blog”.
Sejam Bem Vindo, mais uma vez!
carlinhamaryblog@hotmail.com