sábado, 30 de abril de 2011

Ela não é Frágil


Ela estava assustada e eu, vendo a história por alto, não a julgo errada. Ele parece não se importar com tantas mudanças e isso a deixa ainda mais assustada, por que ela sim se importa com tudo que se passará depois que estiverem juntos. Mas ele só a quer por perto e ela ainda não conseguiu abandonar a razão. Eu não a julgo errada, pois sei que não faria muito diferente, fincaria os meus pés em terra firme e isolaria as ilusões. Eu não a julgo errada por que ela tem medo desse amor espontâneo e eu também sentiria o mesmo. Mas ele a ama, pelo menos é o que parece, e pouco se importa com os medos dela. Ele a quer por perto e ela está sendo deixada levar, mas conscientemente.


Por Carla Maria vendo uma história muito parecida com a dela. =X

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Sem Te Esperar


Não vou te esperar. Não. E nem adianta perguntar os por quês, eu não gosto de me justificar. Lembra? Não vou te esperar e isso é um ponto final. Não vou te esperar e não vou guardar o seu lugar. Mas vou narrar toda a minha vida quando você me perguntar, vou ser sincera e esperar o recíproco, vou descobrir o lado bom de você não estar aqui. Eu vou achar um, eu sei. Eu vou achar um e vou te contar quando eu descobrir.
Não vou te esperar, vou te contar, mas quando você estiver aqui me esquecerei de todos. Por que essa se tornou a lei natural da minha existência, bem com você e bem sem você. Mas não vou te esperar, eu não vou!
Por Carla Maria aproveitando a vida sem esperar ninguém

domingo, 24 de abril de 2011

Meu Louco (?)


Ele parece louco, ele parece entusiasmado com uma ideia de garota que formou em sua cabeça sobre mim, ele parece convicto que em mim encontrará a perfeição. Somente eu não estou certa disso. Ele parece louco, ele parece apaixonado, ele parece meu e eu não sei o que faço com essa propriedade. Ele parece tão louco que talvez eu não dê-lhe ouvidos. Ele parece tão louco que eu começo a gostar um pouco mais dele. Ele é fofo. Ele é ideal. E vocês já o conhecem.



Por Carla Maria tentando explicar que eu não sou perfeita e sim que ele é louco.

sexta-feira, 22 de abril de 2011

Borboletas Agitadas


Descobri que posso matar borboletas que insistam em bater asas no meu estômago. Borboletas chatas e imaturas que agem precipitadamente e que não me deixam interrompê-las quando preciso. Borboletas sem sentindo que aprisionei sem simples motivos. Borboletas que fiz refém e que agora desejo sufoca-las. Olá Borboletas agitadas!

Por Carla Maria tentando descobrir como se tira borboletas do estômago.

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Talvez


Talvez eu possa te estender a mão... Talvez eu ainda possa te dizer o que fazer... Talvez eu ainda te mande calar a boca algumas vezes. Afinal, estou pensando seriamente em voltar a mandar em você.

Por Carla Maria rindo muito do instinto possessivo que ela não tem...

sábado, 16 de abril de 2011

Típico

O que há de errado numa garota que gosta de pagar o próprio táxi? Não implica que essa garota seja feminista, ou abomine o romantismo. Apenas mostra o espírito de independência, afinal... Eu sou aquariana, meu amor e você tem que entender isso! Mas quer saber? Eu gosto do romantismo de libra, eu gosto de você... Mas não arrisque a minha independência típica, ela me deixa diferente de todas as outras, e é disso que eu gosto. T.A. Por Carla Maria falando do lado não feminista dela *-*

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Revolucionária

É dia de não escrever, de deixar todos vocês de castigo por não terem comentando na postagem anterior... É dia de fazer greve, e eu estou com espirito revolucionário. ¬¬ Por Carla Maria indisposta para ver textos sem comentários. carlinhamaryblog@hotmail.com (digam-me)

terça-feira, 12 de abril de 2011

Lua?

A Lua lhe diz alguma coisa? Seja franco, meu amor. O que ela lhe diz? A mim ela não conta nada, mas a você... seria justo algumas palavras. Gosto da Praia por que lá me sinto livre para andar sem direção, assim como gosto de você por que me sinto livre pra te amar à minha medida. Sem exigências e sem horas marcadas. Gosto da praia, por que ela me lembra você e tudo que me lembra você se torna indispensável para mim. E você? O que te lembra a Lua? Por que um dia você disse que... você sabe. Por Carla Maria desinteressada em revelar mais detalhes. Carlinhamaryblog@hotmail.com

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Sexta-feira

Ansiedade. Passei meses esperando esse momento. Poder te tocar de novo, olhar seu sorriso e brincar com o seu cabelo. Passei meses esperando ouvir a tua voz sem o eco estranho do telefone. Passei meses esperando para segurar a sua mão e te contar segredos. Passei meses esperando você. Ansiedade sim, de ver os seus olhos atentos enquanto conto algum caso e de ver seu olhar de reprovação pelo meu vestido meio curto. Você aos poucos me obrigou a mudar o meu guarda-roupa, a minha estante de livros e a minha rotina de vida. Estou ansiosa para que você veja que nada mudou desde que foi embora, nada mudou, por que tudo me lembrava você e por isso fui mantendo tudo que podia no lugar que você deixou, meu amor. Se lembra da briga da noite escura? Você disse “viva então os seus holofotes”,mas me abraçou quando comecei a chorar e pedir desculpas. Lembra? E das manhãs de sábado que passavam lentas esperando a hora de estarmos juntos? Eu não esqueci de nada, eu não esqueci de nós então para de dramatizar e dizer que te esqueci, por que eu manti o tempo todo os seus hábitos em minha vida, eu manti o tempo todo esse sentimento de vazio dentro de mim. Por que eu nunca pus ninguém sobre você. E você?

Por Carla Maria esperando ansiosamente sexta-feira.

carlinhamaryblog@hotmail.com

estre em contato e dê sugestões, elogie ou critique

sexta-feira, 1 de abril de 2011

...e é só questão de tempo

Olhar a minha vida de costas não é o que eu já fiz de mais fácil, mas é a maior atitude que já tive em minha vida. Quem diria que a garotinha de olhar frio se transformaria no que sinto que sou agora? Quem diria que um dia eu teria a coragem de mudar e passar a ver o passado pelas costas? Eu não diria, por que nunca esteve nos meus planos. Agora, eu sei que será difícil quando alguém confessar que sente a minha falta. Será difícil por que eu também sinto falta das conversas nos dias de domingo entediantes, eu também sinto falta dos planejamentos no final de semana, das pessoas que me ouviam quando eu precisava e das pirraças que tanto me tiravam do sério. Hoje eu sinto falta de tudo isso, mas eu sei que se estivesse ainda lá, estaria irritada por não ter participado de nenhuma mudança.

Por Carla Maria se adaptando a tantas mudanças.

carlinhamaryblog@hotmail.com