terça-feira, 31 de maio de 2011

Olhares

São olhos corrompidos, meu amor. Corrompidos de medo, de insegurança e inocência. São olhos que se negam a te passar tranquilidade, olhos que te pedem amor, que te pedem paciência. São olhos carinhosos, impulsivos e independentes. São olhos lhe pedindo permissão, lhe testando a cada segundo, lhe dizendo que ama. São os meus olhos que só querem olhar os seus.

Por Carla Maria depois de ter estabelecido uma nova linguagem, depois de aprender a falar com o olhar.

sábado, 28 de maio de 2011

Passado

Sem querer relembrei de tudo. Eu estava sentada na sacada do meu prédio e um flash do passado ultrapassou os meus pensamentos. Um misto de alegria e abandono tomou conta de mim. Alegria por que o passado me deixou boas lembranças e abandono por que afinal, eu havia sido realmente abandonada. Senti lágrimas hipócritas de tristeza perpassar o meu rosto. Hipócritas por que eu não estava triste, hipócritas por que eu estava vivendo o momento mais feliz da minha vida. Estava sendo amada e estava amando como nunca. Mas senti as lágrimas.

Senti frio, mas não queria entrar, queria continuar sentada na sacado do prédio olhando o movimento dos carros e a correnteza do mar. Eu queria ficar ali por que aquele lugar me trazia tantas recordações e naquele momento tudo o que eu queria era revivê-las, tudo o que eu queria era reviver um dia insensato do passado. Um dia arriscado, um dia de provocações.

A noite foi se aproximando e o vento ficando ainda mais frio e eu olhei para mim mesma e descobri que o meu corpo implorava “só mais um vez”, meu corpo pedia pra reviver um único momento e só assim eu decidi sair daquela sacada, saí pra evitar esses pensamentos ridículos e criminosos. Saí por que eu estava feliz como estava e o passado já não me dizia mais respeito.

Sentei no sofá e liguei a TV, com o pensamento vago ainda meio perdido no meu passado desconcertante. Olhei o relógio, já estava na hora que ele chegaria. Olhei-me no espelho, e logo a campainha tocou. Fui atender feliz, esquecendo-me de tudo que havia pensado durante todo o dia, esquecendo o meu passado, esquecendo as minhas lágrimas. Aquilo sim era felicidade e eu o amava como jamais havia amado nenhum outro que chegou um dia a me abandonar.

-Oi amor – falei sorrindo, com olhos que jamais choraram. Falei sorrindo para o meu presente.

Por Carla Maria apenas contando um história...


carlinhamaryblog@hotmail.com 
(Mande sugestões, críticas e sempre mantenha contato)

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Irritada

O que mais me irrita?
Eu sendo chata, arrogante, impaciente, mandona, mimada, dramática, calada, nervosa e ele dizendo que me ama e fazendo coraçõezinhos...
Dá pra sentir raiva também?


Por Carla Maria revoltada por que o namorado não se irrita com ela nunca

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Apenas Resumos

Eu ouço as músicas e em todas procuro semelhanças com a nossa história. Eu ouço as músicas e vejo pequenos resumos do que sinto por você, pequenos e significativos resumos. Eu ouço você e sei, neste momento, que as suas palavras soam como músicas para mim. Eu ouço o seu ‘eu te amo’, ouço os seus suspiros e ouço os seus chamados e tudo se transforma em música para mim. E qual é a nossa música? Nós não temos, por que nenhuma conseguiria traduzir nosso sentimento, nenhuma diria tudo que deve ser dito. Conhecemos apenas resumos, significativos resumos.



Por Carla Maria proibindo Danilo Brasil de dizer que temos uma música.



quinta-feira, 19 de maio de 2011

Garotas x Garotos

Garotas dizem coisas subentendidas na esperança que eles entendam. Garotos nunca sabem do que nós estamos realmente falando ou onde queremos chegar. Garotas mudam a voz quando estão com ele no telefone. Garotos não entendem por que a voz dela fica mais bonita. Garotos contam as suas histórias. Garotas fingem estar interessadas. Garotas amam. Garotos também.



Por Carla Maria feliz por não haver só divergências entre garotas e garotos.




terça-feira, 17 de maio de 2011

Um Caminho

Eu vejo as ondas me perguntarem se eu não quero ser levada, vejo a brisa sendo provocativa e vejo o meu telefone guardado no bolso. Eu ando sozinha e vejo o céu se escurecer como numa revolta conta mim. Eu ando sozinha e na minha cabeça nada passa de um sonho, mas não é o que parece... não tenho controle sobre nada e tudo me assusta. Reparo nos meus pés e os vejo descalços, procuro a sandália e não acho, desisto e continuo o caminho. Ainda sozinha olho para o lado e vejo desconhecidos, continuo o caminho sem olhar pra trás, sem sorrir aleatoriamente.



Por Carla Maria vendo a natureza conspirar.

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Sinceros

Seus olhos são atentos a cada detalhe das minhas expressões, suas mãos me abraçam e protegem a minha inocência, o seu olhar me deixa desconcertada e você parece gostar de mim. Seu andar me faz querer te parar e não deixar que saia do meu lado e quando eu te abraço eu me sinto sua propriedade, sinto-me a pessoa certa para ser chamada de pronomes possessivos por você e eu suspiro de tristeza quando estou longe. Sua respiração lenta desperta a minha ofegante e você consegue me sentir trêmula em seus braços. Os meus lábios falam involuntários que te amam e eu nunca os vi sendo tão sinceros.

Por Carla Maria dizendo algumas coisas para o namorado.
carlinhamaryblog@hotmail.com
 (fale comigo !)

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Minha História


Foi rápido e viciante como nada que já senti. Foi rápido, mas expressivo. Rápido, mas fascinante. Rápido, mas é essa a história que quero contar aos meus filhos. Rápido, mas é a minha história. Não me importo com a velocidade, só me basta ser sincero e eterno.


Por Carla Maria se sentindo em uma comédia romântica que já começou com um beijo e que talvez nunca tenha um fim.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Perto


Estou cantando músicas ao avesso, estou brincando com as minhas palavras, estou procurando por borboletas e engolindo algumas delas. Estou sentindo o cheiro da cumplicidade, da amizade e da união. Estou sentindo você se aproximar de um campo de proteção que formei já faz um tempo. Estou sentindo você perto, muito perto, mas não tanto quanto proponho.


Por Carla Maria intrigada com novos sentimentos.


carlinhamaryblog@hotmail.com
(fale comigo, mande sugestões)

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Cansada


Eu ouço os seus suspiros quando estou sentada na minha sala de estar. São suspiros distantes, mas não tão distantes o quanto você está de mim. São suspiros provocantes e imaginários, mas eu os ouço mesmo antes de dormir. Eu ouço as suas perguntas ciumentas enquanto ando pela rua procurando um vestido. Eu ouço você dizer “você não vai chamar muita atenção?” e me vejo desistindo da compra. Eu ouço os seus sussurros antes de dormir e só consigo adormecer depois de ouvi-los. Eu ouço os seus passos na minha varanda chegando para me visitar e ouço você me assustar quando estou concentrada no filme. Eu ouço tudo, amor. Eu não aguento mais ouvir tudo.

Tem dias que coloco a sua foto sob o travesseiro, num desejo simples de criança que você se materialize. Em outros dias prendo ao ouvido uma música alta que me faça não ouvir os seus sussurros, as suas súplicas por fidelidade, mas eu as ouço no intervalo entre uma música e outra, eu as ouço e já não acho mais isso romântico.

Talvez um dia eu te confesse que muitas vezes fugi das suas ligações, talvez agora eu já tenha confessado. Foram os dias lúcidos desde quando te conheci, os que te rejeitei. Por que enquanto estive ao teu lado eu perdi toda a minha lucidez e equilíbrio, enquanto estive com você fui sua e quando você se foi, esqueci-me de “tirar do seu nome esta propriedade”. Por que você se foi e só me restou uma foto e as suas ligações perdidas, você se foi e ficou guardada em uma caixa jamais vista o pedacinho seu que ficou comigo quando partiu. Você se foi, amor. E isso é tudo que tenho dito nos últimos meses.


Por Carla Maria cansada de ouvir sussurros, ordens e suspiros imaginários.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Ignoro Você


Parabéns. Aprendi a não chamar sua atenção, a não implorar suas palavras, a não querer você por perto. Na verdade, esta ultima parte é mentira, mas é o que quero que acredite e ponto. Quer a minha palavra? Então peça, meu bem. Peça , implore, chame a minha atenção. Talvez eu veja que você está aqui. É... talvez.


Por Carla Maria nem ai pra falar com ele. Tsc tsc ¬¬